sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Ando impossibilitada de trabalhar. Pronto. É isto que faz um ano sem dormir uma noite decente. Sinto-me mentalmente exausta. E a não conseguir inverter isto
A Mia é uma eterna descontente. Para tudo é uma luta, até mudar a fralda se está a tornar uma dificuldade, só foge e chora, irritada. Mas pois que ontem, surpreendentemente, saiu do banho sem chorar e passou que tempos a puxar-me a cara para me dar beijinhos. Ia derretendo, de tanto mel! Fofinha, a minha pequenina!

Puxa-saco

Puxa-saco da mãe, é como o pai lhe chama! Anda por ali uma ciumeira das antigas, é o que é!
mas que também dá jeito, é o que me parece, porque a miúda só me quer a mim, sua exª tem tempo para ver tv refastelado no sofá, enquanto eu lá ando pela casa toda de mão dada com ela, a brincar, ou só a ver se não cai (mais uma vez). Resultado, é um stress para fazer o que quer que seja, porque não chega estar ao pé de mim, tem de estar ao meu colo, ou a dar-me a mão para andar para todo o lado, ou se está a brincar, eu tenho de estar ali ao lado, com ela, senão chora desconsoladamente.
Azar para o resto. Ela só vai ser pequenina agora.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012


Nós


Maezite aguda

A Mia sofre de maezite em último grau. Como se isso me preocupasse!!! Adoro! Na maior parte do tempo, se eu estou por perto, só eu sirvo. Se se magoa ou assusta, só comigo se acalma. E eu adoro. Que, pelo menos nesta fase, enquanto é pequenina, eu seja o mundo dela, como ela é e vai ser sempre para mim.

Andando

E na passada sexta-feira, a Mia deu os primeiros passos sozinha! Deixei-a a olhar para a roupa às voltas na máquina de lavar roupa (vá-se lá perceber qual o encanto daquilo, mas pronto) e fui até à mesa da cozinha, a uns 2 metros. De repente vejo-a pelo canto do olho, de bracinhos no ar, a andar até mim! Ajoelhei-me e estendi-lhe os braços, sem saber o que fazer para não a assustar. E ela lá vinha, a rir, muito espantada, até se aninhar nos meus braços a dizer "oh-oh-oh", como faz sempre que se surpreende!
Literalmente, mais um (vários) passos em frente!

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Mantra #2

Mia, não joga no chão!

Mantra #1

Mia, não põe na boca!
Sei lá porquê, deixou de me apetecer andar por aqui, mas hoje bateu a saudade

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Não foi o primeiro dia da mãe, porque o ano passado a m. já estava na minha barriga e fazia parte da minha vida. Mas foi indiscritível a emoção de a ver a entrara no quarto ao colo do pai para me vir acordar, com o saquinho com a prenda e o postal. Foi a minha primeira prenda do dia da mãe. Com muitas lambidelas à mistura. E foi o melhor do mundo.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Quando finalmente se toma uma decisão, não é justo não se poder fazer o que se quer.
Cansei-me de estar parada, decidi voltar ao ginásio. Para o HP não há condições, pagar aquele balúrdio para ir apenas à hora do almoço, que não concebo perder nem mais um minuto do que o necessário dos dias da minha pequenina, nem pensar. E até gostei do Pump, pequeno mas acolhedor, e bem simpático nos preços. Só que, apesar de ir determinadíssima a começar esta semana e começar a voltar ao normal: não há vagas, tive de ficar em lista de espera. Deve haver vagas para final de Junho. Não foi bonito.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Isto às vezes parece-me um colete de forças onde sou obrigada a ficar grande parte do meu dia.
Que inveja de quem tira prazer do seu trabalho, ou de quem pode "chutar o balde" e começar de novo.
Mas depois chego a casa e isto passa-me

quarta-feira, 18 de abril de 2012

E de repente, a M fica sentada sozinha!

terça-feira, 17 de abril de 2012

Hoje acho que fui apanhada pelo cansaço. Muitas noites mal dormidas, tanto para fazer, dá nisto. Estou meia zorbe hoje. Nem me apetece falar e já tive um ataque de choro no banho da manhã. Esse é o maior sintoma da falta de descanso em mim, que já sei o que a casa gasta. Para a semana estou de férias, quem sabe consigo dormir quando a baby fizer as sestas dela? Preciso mesmo disso
Se a M. parecia enorme deitada na alcofa, agora, parece quase perdida na sua caminha, no quarto dela. Já percebi que não preciso do intercomunicador, porque a oiço ao primeiro som. Vantagem do quarto ser mesmo ao lado ou de se passar a dormir com um olho aberto a partir do momento em que nasceu. Sei que foi uma boa altura para a mudança, ela não estranhou nada e se calhar ia ser mais difícil quando fosse maiorzinha. mas custa-me a mim não a ter ali ao meu lado. Já sinto saudades de ouvir a respiração dela ali. É um facto: está a crescer. E não há volta a dar.
Sintoma da mudança que ocorre na função pública é o que se está a passar aqui: toda a gente que estava fora está a regressar por medo de que o concurso que está a decorrer venha a ocupar os lugares do mapa e que, quando quisessem voltar, já não tivessem para onde. E assim se condicionam as opções profissionais: deixam-se cargos de chefia, com salários superiores, por medo do futuro. Coisa mais triste. É muito bonita a teoria de que se tem de arriscar, e trálálá. Só que isso só funciona para quem não depende do dinheirinho ao final do mês. Que contas chegam sempre, quer o "arricar" funcione ou não. É triste.
Primeira incursão às urgências com a M. Com uma coisa que não seria caso de urgência, mas face à ausência da médica, foi a opção. Que me deu logo direito a um discurso de "arrisca-se a que a menina saia daqui doente". Pois. Eu sei. Sei que mais do que isso me doeu foi pagar quase 20€ pela brincadeira.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Fartinha até às pontinhas espigadas do cabelo de toda a minha roupa. Da que serve, da que vai servindo desde que não insista em fazer algo tão dispensável como respirar e da (muita) que não serve mas que continua presente como incentivo a fechar a boca.
A entrar no maravilhoso mundo dos álbuns digitais. É um teste à minha famosa impaciência. Mas vai sair lindo, já é um ponto de honra! Não é isto que  me vai vencer. Já o meu telemóvel novo, estou quase a entregar os pontos....Odeio coisas que me façam "perder" tempo, definitivamente, não nasci para grandes sofisticações
câmaras municipais, bancos, tudo de folga à tarde. e eu a trabalhar. não é bonito e não adianta de nada. pura demagogia, que ter as pessoas a trabalhar cada vez mais contrariadas só diminui a tão afamada produtividade. mas fica bem, que acaba sempre por ser o que interessa. é triste

Grande marco

Rendida a todas as evidêncis, vencida mas não convencida: a Mia vai passar para o berço, no quarto dela. Até agora tem dormido no nosso quarto, na alcofa, bem do meu lado. Mas não dá mais, está quase do tamanho daquilo e acorda muitas vezes com as perninhas dobradas. Apesar de ser ao lado do meu quarto, cada vez que penso nisso sinto que vai ficar a quilómetros de distância! É para mim um grande passo, vamos ver o que vai ser para ela! Bem, não pode dormir pior do que até aqui, que perco a conta às vezes que acorda de noite....duro duro é imaginar-me a andar feito alma penada entre os quartos, mas não há-de ser nada!
Sei que vou sentir falta de a sentir ali ao lado, de lhe ouvir a respiração e cada suspiro, que nessas coisas não há intercomunicador que valha. A minha pequenina está a crescer, e isto faz parte. Ainda que a mãe que há em mim seja tão nova nestas coisas que não esteja preparada para a velocidade estonteante com que o tempo passa desde que é mãe. O tempo é muito injusto com as mães. Só passa devagar quando estamos longe deles.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Empatia

Soube de mais uma colega aqui que está a passar pelo deserto da infertilidade. E acompanho uma outra, cuja filha está a passar pelo mesmo. Vejo nelas tudo o que passei, percebo perfeitamente todas as reações da filha dessa colega que tanto a chocam e entristecem. Vejo na dor dela aquilo que sei que a minha mãe sentia ao ver-me tão triste e frustrada. É muito triste que tanta gente passe por isto. E disto só sabe quem por isto passa. Eu tive sorte, depois de seis anos, tive o meu milagre. A questão é que chega a um ponto em que se deixa de acreditar que isso pode ser possível, e passei a gravidez em pânico, por achar que a ia perder, e depois dela nascer levantava-me vezes sem conta para ver se ela estava a respirar. Se calhar por achar que não era para mim tanta felicidade, tamanho milagre. Aquilo que se vive é interiorizado como um profundo falhanço, e isso toma conta daquilo que éramos, destrói a confiança que se tem. E a vida passa a viver-se em "ondas". Há alturas em que se consegue superar a situação e outras em que aquilo sufoca, domina. Vejo isso a acontecer agora com elas e percebo tão bem que chega a doer.
Voltar ao trabalho há um mês, mas a coisa anda meio "devagar". Acho que ando desencantada com isto. Esta fase do ano é sempre um verdadeiro marasmo, trabalho estranho este, em que oscilo entre dias quase sem nada para fazer e outros em que precisava de mais 24 horas sobre as normais. Mas este ano tem sido ainda mais estranho. Não gosto disto. Preciso de voltar a arranjar motivos para gostar do que faço, senão fico depremida. Irritam-me os trabalhinhos administrativos puramente redundantes, irritam-me as "miudezas" desta gente. Não há paixão por aqui e isso torna tudo insuportavelmente aborrecido.
Custa viver a fazer a contagem decrescente até à hora de ir embora, e é isso que tenho feito ultimamente.
Quase 7 meses e 6,550 Kg. Magrelinha mas linda e saudável. Em treino para a elegância, já percebemos!

terça-feira, 27 de março de 2012

Pois que isto da baby acordar de hora em hora, quando chega a passar uma hora, durante a noite inteira e acordar de vez às 5h05 dá uma nova tonalidade à minha tez: VERDE

quinta-feira, 22 de março de 2012

E coragem, sehores, e coragem????

Pois que ajudava fechar a boca (isso lá se está a começar a fazer) e inscrever-me outra vez no ginásio. Tanto plano e não consegui nada, que a baby não deu tréguas enquanto estive em casa. Sempre que precisava de sair sozinha sabia que ela chorava o tempo todo, nunca consegui sair só porque sim e deixá-la assim, só quando não tinha mesmo opção. E agora, que já voltei à labuta, ando tão TÃO cansada, por dormir tão mal, que só de pensar em ir ao gym à hora do almoço me apetece mandar para o chão e dormir. Deixa lá passar mais uns tempitos, pode ser que consiga....

Vencida mas não convencida

Tenho de ir comprar (mais) calças tamanho atual. Continuo em modo pós-parto, a coisa está a demorar a ir ao sítio. 65 kilitos que não baixam. Mas o pior é que a roupa que me servia em outras alturas em que pesei isto não serve. Esta coisa da gravidez alargou-me (ainda) mais, tá visto. Adiei ao máximo a compra de roupa em tamanho maior, mas estar reduzida a 2 pares de jeans não dá.
E o horror que são as lojas que não têm número para mim? Ontem, na Benetton foi o ridículo: os tamanhos só alargam na cintura, onde já cabia uma mão fechada e as pernas continuavam justas ao ponto de querer rebentar. Nem toda a gente é escanzelada, meus amigos. E isso dá uma raiva!!!

Dia do Pai

Coisa mais deliciosa, festejar este dia!!!
Acordámos o pai cá de casa com a prenda e a Mia na barriga dele. E ele amou a prenda. E o que significa

Horror

Ontem cheguei ao trabalho e vi a notícia mais horrível. Uma Matilde com 6 meses morreu, desconfiaram das vacinas que tinha tomado e o infarmed suspendeu-as. A Mia tinha tomado uma delas há 2 semanas. Voei para casa para ver no boletim de vacinas se o lote era o mesmo e foi um dos momentos de maior pânico. Não era, graças a Deus. O meu coração está com aqueles pais, não se consegue sequer imaginar o que estão a passar.Que esse seja mais um anjo a tomar conta dos que estão cá connosco.

Momento Mimosa

A meio da tarde, lá tenho o meu momento Mimosa: tenho de tirar leite e coloco no congelador cá da casa. Muito horrível ter de fazer isso no WC. Inicialmente, dava para fazer no meu escritório, fechada, com a musiquinha ligada, mas entretanto a fechadura estragou-se e pronto, WC com ela. è muita mão-de-obra, mas enquanto puder, vou amamentar. É das coisas mais maravilhosas que pode haver: ter algo que a bébé adora e ansia, depois da papa da noite quer sempre mamar e acaba por adormecer, de noite mama e de manhã, antes de sair de casa, é o nosso momento. Agora faz-me festinhas na cara enquanto mama, ou brina com os meus cabelos. Ás vezes larga a mama, olha para mim e ri, para depois pegar de novo na mama. Não vou fazer nada para que esses nossos momentos acabem. Sei que é o maior mimo, o maior conforto que lhe posso dar.

Pausa bloguística

Isto anda mesmo muito parado. Falta de tempo e de vontade, apesar ou por causa de uma vida cada vez mais atarefada.
Voltar ao trabalho, de vez, não está a ser fácil. Estou na 4ª semana e não está a ficar mais fácil. Não posso usufruir das 2h de amamentação nem pedir a jornada contínua como todas as mamãs cá do sítio, porque não posso fraquejar, que isto é uma teia de lobos, um saco de gatos raivosos. Custa muito ver o meu tempo com ela tão reduzido nestes 5 dias. E ao fim de semana ter tanta coisa para fazer e não querer prescindir de um minuto com ela. Estas coisas parecem básicas enquanto não se têm filhos, e tudo gira à volta disso a partir daí.
Mas cá estamos. Verde de sono, que as noites são interrompidas milhões de vezes, para mamar, para mimo, porque sim e porque não, a mia acorda cada vez mais vezes de noite. Voltei a beber café de manhã, não havia nada a fazer. E as semanas correm numa contagem decrescente eterna: nunca mais é Sábado para poder ficar o dia todo com ela!

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

É engraçado como a baby é parecida comigo e com o pai. Comparando fotos de nós na idade dela, é claríssimo que do nariz para cima é parecida comigo e que daí para baixo é o pai. A dúvida está no nariz, mas visto que o de ambos é feio, tadinha dela, só esperoq ue se saia melhor e não puxe a nenhum dos dois! Parece magia, ver-me nela, e ver o pai em certas expressões que faz!
Alguém me explique onde foram parar estes quase 6 meses!
A partir de segunda-feira volto ao trabalho 5 dias por semana. Se a trabalhar 2 vezes por semana a falta que sinto dela é sentida na pele, como vai ser agora?

Estado da nação

O papá é para a palhaçada, a mamã é para tudo o resto!
A baby só ri a sério para o pai, para mim e para os outros são só sorrisos lindos de morrer, mas as gargalhadas são só para ele. Mas em relação a tudo o resto, pobre pai, bem faz o pino, mas a pequenina só se acalma comigo!

Ter fé

Durante toda a minha vida a relação que tinha com algo superior foi sempre algo instável. Numa família de fé mas de poucos rituais religiosos, cresci a olhar para tudo isso com alguma distância. Nem sim nem não. Depois passei uma longa fase de descrença, por não acreditar que tudo o que se passava na minha vida pudesse ter alguma intervenção divina. Cheguei até a ter raiva quando me diziam para acreditar, que "fosse o que Deus quisesse". E agora dou por mim a agradecer, porque a Mia faz parte da minha vida, a pedir que a guardem. Quando algo é tão maior que nós, passamos a acreditar.

sábado, 31 de dezembro de 2011

Ontem foi dia de médica: 61 cm e 5,350. Magrela, a minha baby. A opção era suplemento ou papa. E assim começou uma nova etapa: uma refeição à colher por dia. Papinha nutribem ou milupa de maçã ou pêra. As 3 primeiras colheres desceram bem, a partir daí, só com muitos malabarismos. Hoje já foi melhorzinho, mas é difícil, a bichinha não acha lá muita graça áquilo!

E com as palhaçadas do pai, a Mia começou a gargalhar. Lindo!
E assim termina aquele que foi o melhor ano da minha vida.
Dia 3 de Janeiro soube que estava de bébé. Dia 31 de Agosto nasceu a Mia. E hoje, 31 de Dezembro, a minha menina comemora 4 meses.
Sensação de vida completa. Só.
Chefe de equipa multidisciplinar´com nomeação até 30 de Junho. Quem diria!
Mas cheia de recados: regalias de mãe, nem pensar! Não há cá horário de amamentação, nem jornada contínua, nada. E tenho de começar a trabalhar à distância a partir de Janeiro. Nem mais.
Mas ficar a trabalhar em Lisboa, sem ausências de 2 meses de cada vez compensa tudo!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Fui chamada à IG esta semana. 4ª feira lá estarei, a levar com mais uma dose de demagogia pura. Que os lugares de direcção intermédia diminuiram e que eu não estou lá no início do ano, quando começam as acções de 2012, por isso, bye-bye maria ivone. Depois de me dizer que ninguém da Direcção tinha nada a dizer do meu trabalho (que até correu bastante bem, comparando com os das outras equipas, onde houve problemas gravíssimos de falta de competência). Mas isso não interessa nada. Revolta-me saber que vou ser despromovida única e exclusivamente porque tive a audácia de ter uma filha e de usufruir dos direitos que daí advêm. Mas é assim e não há nada a fazer. Ainda é o país que temos. Numa casa que devia acautelar esse tipo de situações, a minha vida profissional dá um enorme passo atrás porque fui mãe. Discriminação?1? Não, nada..... Tenho de ver se me acalmo quando lá for, porque me parece que não vou conseguir ficar calada e não me posso passar com o chefe. Tenho de pensar bem no que vou dizer. Mas que vou dizer vou. Valeu bem a pena tanto esforço, tanto trabalho para cumprir prazos, para fazer bons trabalhos com uma equipa tão fraca. Andar a trabalhar nos corredores do Hospital, quando andei a fazer o tratamento, a trabalhar todos os fins de semana para nunca falhar um prazo ou um objectivo. Nem consigo pensar mais nisto.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Soube, por puro acaso, que dia 16 vai ser o almoço de natal da Inspecção.
Nem sequer poderia ir, mas alguém ligar a convidar não ficava mal.
Definitivamente, não gostei. Nem um pouco. Grande crime eu cometi, ter um bébé e ter a audácia de me ausentar...enfim...

Vacinas dos 3 meses: Same old Same old
Berros de uma
Choro das duas!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Este ano estou desejosa de fazer a árvore de Natal. Só isso é um sinal de tudo o que mudou. Há anos que o Natal era uma das piores alturas do ano. Principalmente os dias que o antecedem, quando via toda a gente a preparar-se e eu com vontade de tomar uns quantos comprimidos que me fizessem dormir durante toda essa altura e acordar só em Janeiro. O Natal era sinal do que não tinha. Só isso. Para quê fingir, sentia-me tão triste nesta época...os falhanços, as dores de alma, a frustração, a tristeza suprema tornava-se impossível de suportar. E este ano até me apetece fazer a árvore! Obrigada Mia, por teres mudado tanta coisa! Principalmente, por existires. Mesmo que por seres tão pequenina não vás ligar a nada, vais ser o mais importante deste Natal.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Palpites

Há uns tempos, disse aqui que se perderam muitos especialistas em infertilidade, tal era a catrefada de conselhos e soluções que toda a gente se sentia no direito de dar em relação a eu não engravidar. Agora, temos a versão especialistas de bébés. Toda a gente dá palpites. Em relação a isso, peço os da minha mãe, de 2 amigas e de uma prima. Que, por sinal, são as únicas que só dizem alguma coisa se eu perguntar. De resto, faço MUITO uso à educação que a mommy me deu e oiço tudo com um sorriso nos lábios. Do mais amarelo que tenho, temo. É a primeira vez que ando nisto, é óbvio que há montes de coisas que não sei, mas passo-me com os comentários. Completamente. A Mia chora muito. Graças a Deus, está a começar a ficar mais calminha, mas tem sido complicada. E assm oiço de tudo. Que é frio, que é calor, que é fome, que tem a fralda apertada, que quer colo, que não quer colo, que tem de usar chucha, que ainda bem que não usa chucha, que o banho acalma, que o banho excita, que os collants fazem comichão, que a roupa está larga, que a roupa está apertada, que tem dores de ouvidos e mais isto e mais aquilo. Estou a começar a ficar fartinha da vida com isto. Eu sou a mãe e em relação à baby, uma coisa eu percebi bem cedo: quando nasce um filho, nasce uma intuição qualquer que nos ajuda a levar a coisa. Por mais inexperiente que seja, eu sou a mãe, sou eu que estou com ela 24h por dia, todos os dias. Eu é que já sei muitas das coisas que ela gosta e das que não gosta. Sei que não sabe chuchar senão no peito, que não suporta as 6 chuchas que comprei. Sei que não devia chuchar na mama, mas se isso a acalma e eu amo tê-la assim, qual é o problema de a deixar quando o choro já vai longo? Assim habitua-se. Azar. O problema é meu e da minha mama, e dessas sei eu! Sei que adora tomar banho, mas que odeia vestir-se. Sei que quando o choro aumenta, o melhor é deitá-la no trocador e falar com ela baixinho, pertinho da cara dela, para que ela veja bem. Sei que gosta de olhar os brinquedos a mexerem-se, mas que se fizerem muito barulho ela não gosta. Sei que nao gosta de ficar ao colo "à bébé", mas sim ao alto e de preferência virada para a frente. Sei que gosta de andar de carro, mas que não gosta do transito (quem gosta???). Sei que não se importa com o barulho, mas que fica muito chorona quando a confusão é muita. Sei que gosta de beijinhos no pescoço. Sei que arrota melhor se a deitar primeiro e a levantar de seguida. Sei que acalma se lhe cantar ao ouvido. Sei fazê-la sorrir, com o sorriso mais lindo do mundo. Sei que adormece comigo a dar-lhe beijinhos na testa. Sei que não gosta do escuro. Sei que não sabe mamar no biberon. Sei que não gosta de soro fisiológico. Sei que se acalma se lhe pegar na maozinha, quando está a acordar. Sei quando ela vai fazer a n.º 2. Sei que, por norma, isso implica trocar a roupa toda! E sei muito mais coisas. Principalmente, sei que detesto palpites quando não os peço.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Um rochedo

É o que eu sou como mãe! Em verdadeiro rochedo! Ou não...ontem a baby foi levar as vacinas dos 2 meses: 3 injecções nas pernas e uma vacina oral. Ela gritou e chorou que se fartou, e o que é triste é que eu também! As lágrimas corriam-me pela cara abaixo sem que conseguisse parar, a enfermeira, muito fofa, a dizer que não fazia mal, que a bébé ia ficar bem, e eu naquilo! Um rochedo...mais a atirar para o iceberg derretido. Um dia eu ainda vou conseguir lidar com estas coisas. Espero. Entretanto, é assim, uma choraminguisse pegada.
É difícil manter a promessa de não comprar roupa maior do que o que era habitual quando só me servem umas calças de não grávida...

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A Mia já fez um milagre: as irmãs vieram almoçar cá a casa no feriado.
Após 6 anos de inferno, cederam, para ver a irmã, que só viram de relance nos primeiros dias. Tudo correu muito diplomaticamente, o que, face aos antecedentes, é mais do que seria de esperar. Deram colo, vestiram, mudaram fraldas, deixei que fizessem tudo. A ver se isto muda. Mas o que já aconteceu está gravado, não consigo apagar. Mas o JL merece que a situação mude.
A pessoa que me é mais próxima no emprego meteu os papéis para a reforma. Vai-me fazer muita falta. Qd eu voltar ela já não deve lá estar. Não tem graça
Ainda não é certo, mas as mudanças governamentais levaram à eliminação de um cargo de chefia e pela conversa, salto eu porque estou ausente 6 meses e porque "a sua vida pessoal mudou e como tal tem menos disponibilidade". Lindo, não é? Disse que não tem nada a apontar ao meu trabalho, mas pelos vistos isso não interessa nada. Fui mãe e tive a audácia de gozar os direitos que me assistem. Azar o meu. Ainda dizem que evoluímos. Até parece! Foi uma reunião muito feia. Argumentos feios. Vamos ver como isto fica.
2 meses, 56,5 cm e 4,720 gr. Comprida e magrinha, mas tudo está bem. Bom desenvolvimento motor e muitos sorrisos para a médica.
Acho que esta miúda já a sabe toda: sorrisos à grande para quem interessa. Hoje foi a médica, n aqui à dias, para o meu chefão, quando a levei ao meu trabalho. Continua assim, filhota, que assim é que a malta se safa neste mundo cão!
E assim passou mais de 1 mês desde o último post. não ´falta de vontade, mas de tempo. A Mia ocupa tudo, faz sestas de 15m e acorda pronta para a festa, e tem mais resistência que eu, é capaz de ficar às 8 horas seguidas acordada, quase todas a choramingar, e eu, como sou uma maricas, vou logo acudir, que quando ela chora, chora mesmo e eu fico toda aflitinha. Mas está a ser o melhor dos tempos. Sinto-me abençoada e enamorada. Cada vez mais linda, e eu fico toda babada quando na rua lhe dão elogios, o que tem acontecido sempre que saímos. O JL até se ilumina!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A M. é da night....de dia dorme sestas decentes, de noite nem por isso. Ando toda baralhadinha!
Então é assim: 21 dias após o parto, já percebi que 12 KGs foram da gravidez, o resto foi da gula mesmo: perdi nas 2 primeiras semanas 12 kgs, a partir daí, NADA!
Se calhar ajudava se não comesse tanto ;), mas continuo muito crente nos milagrosos poderes "encolhitivos" da amamentação!
Nisso e em ter a casa cheia de coisas boas por causa das visitas que vão aparecendo, e às quais não há a mínima coragem de resistir!O problema é que estou outra vez numa fase estúpida: as roupas de grávida estão a nadar (principalmente as calças) e a minha roupa ainda não serve (nem perto, que 8 Kgs é uma diferença muito grande). Como nem sequer pondero não voltar ao normal, recuso-me a comprar roupa para este tamanho, pelo que a decisão matutina do que vestir é MUITO COMPLICADA por estes dias!

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Pois, isto agora é um baby blog. É assim, a vida muda, e agora, por agora, só me interessa isto. O resto da vida virá depois. As perspectivas são tão más que bloqueei a parte profissional, para não me deixar dispersar daquilo que é realmente importante. Por enquanto, é isto.
Ter um bébé pequenino em casa obriga-nos a mudar. O mel que me invade a alma transforma-me a cada momento. Não adianta pressas ou nervosias, ela vai sempre mamar ao seu ritmo, adormecer quando quiser, chorar se for isso que lhe apetece. Aprende-se a viver mais devagar.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Por mais fotos que tire, por mais filmes que faça, não tenho como guardar o cheirinho da minha bébé, todas as expressões que faz, a forma como me olha quando lhe falo baixinho e bem perto da cara. Essas são coisas que apenas posso guardar em mim. E contar-lhe, quando ela crescer e quiser.

domingo, 11 de setembro de 2011

Fui ontem à hora do almoço ao continente. Afinal, as saudades da barrigona são também práticas: que falta faz poder usar as filas prioritárias!!!
Definitivamente, o Hospital dos Lusíadas foi uma excelente escolha! Na sexta à tarde recebemos a visita de uma enfermeira parteira que faz o acompanhemento ao domícilio das novas mamãs e dos bébés. Esteve cá quase duas horas, extremamente cuidadosa e simpática, a querer saber todos os pormenores da rotina da bébé e muito do meu estado, físico e psicológico. Deixou um telefone que está disponível 24h por dia, para aconselhamento e esclarecimento de dúvidas, ou, como ela disse, para aquelas horas em que só apetece desabafar. Toda a equipa com que lidei nos quatro dias que lá estive foi fantástica, médicos, enfermeiros para mim e para a M (que lá não há misturas!), auxiliares, toda a gente fantástica e disponível. Vale a pena tudo o que custo, fazem a pessoa sentir-se muito bem numa altura tão emocional como é um parto.
Na pediatria também são incansáveis, fomos lá com a M. para a pesar na 6ª (3.320 gr, já vai aumentando), porque perdeu muito peso desde que nasceu, e a médica pediu para a ver outra vez na 2ª, para a pesar e ver se está a engordar bem só com o peito. Dá uma segurança boa, a sensação de que estão atentos, cheios de cuidados com a baby. Não sei ainda em quanto me vai ficar a brincadeira (paguei de caução € 250, vamos ter de pagar 40€ por cada noite do JL lá, e ainda pode ser preciso pagar mais alguma coisa), mas uma coisa eu sei, não podia ter empregue melhor o dinheiro. Ter ali a bébé foi o melhor decisão que tomei!
Ontem a P. veio ver a Matilde. Sem a família dela atrás, que a ciumeira da criançada não permite que chegue perto de outros bébés. Depois de andarmos meias às avessas durante uns tempos, apesar de discordar de tanta coisa que ela faz, principalmente em relação à C., tê-la cá em casa, a babar-se para a minha filha deu-me uma sensação de "volta a casa". Sinto muita falta do que já fomos, eu, ela e a S., a quem nem senti vontade de dizer que já tinha tido a bébé. É triste como a vida nos afasta tanto de pessoas que em tempos, foram tanto. Ainda assim, sinto um buraco no peito quando penso nelas. Fomos as três juntas durante a vida inteira, criadas juntas desde que nascemos, e de repente acontecem montes de coisas que nos afastaram. Nenhuma de nós tem muito jeito para confrontos, quem sabe se nos tivéssemos passado umas com as outras nunca tínhamos chegado a este ponto estúpido. Ai estas hormonas estão a pôr-me tão sentimentalóise....ando sempre com a lágrima no olho, não há paciência!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Escolhi que iria fazer cesariana em vez de parto normal desde o início. Um medo absurdo do parto, provavelmente resultado de ouvir o que a minha mãe passou para me ter. E, no final, não poderia ter sido de outra forma. A bébé estava em má posição e eu não tinha condições para um parto normal. E o cordão umbilical estava enrolado no pescoço e era muito curto, o que pode ser um perigo num parto normal. Resultado, a escolha deixou de ser uma escolha, apenas significou que me poupei ao sofrimento da preparação para um parto normal que acabaria com uma cesariana de emergência. E é mentira quando dizem que a recuperação é má. É, mas nos 2 primeiros dias. E nada que não melhore com a morfina que me deram nas primeiras 24 horas e com os analgésicos depois. Deixei de tomar analgésicos fortes no 3º dia, que o paracetamol chegava perfeitamente, e já larguei até isso. Dói um pouquinho a barriga, se mudo de posição muito depressa. De resto, nada. Acredito que quem é "costurada" sofra bem mais. Nem tive de tirar pontos, e a cicatriz está óptima, num sítio que nem se vê no bikini, nem com a cuequinha. Resultado, recuperadissíma, só com as emoções ao rubro, chorona que só eu, mas agora sempre de profunda babadice pela M. E por tudo o que se tem passado. E acho a minha bébé linda!

- 10 Kgs

E agora a parte com piada: a comer que nem uma doida (e eu que não acreditava que amamentar dava fome) e numa semana já abati 10 Kgs. Voltei a ter pés em vez de patas de elefante! Em compensação, tenho a mão direita sem sensibilidade, ao que a médica disse, supostamente são ainda efeitos da epidural, que irão passar. Quando fui operada, o efeito da anestesia geral que levei foi perder a sensibilidade em parte da face esquerda, e não recuperei totalmente. Vamos ver se isto passa...é que incomoda que se farta!
Não encontro palavras grandes o suficiente para reproduzir aqui o que têm sido os meus dias desde que a M. nasceu. Desde o susto que nos pregou quando ouvi a médica dizer que estava colada e que precisava de forceps (quem diria que se usavam forceps em cesarianas?), até ao turbilhão de sentimentos quando a ouvi chorar, pelo que a médica disse, ainda antes de estar toda fora da minha barriga. Quando o JL entrou com ela ao colo no bloco nem a conseguia ver, que as lágrimas me turvavam os olhos. Vi-a. A boca linda, a carinha a fazer montes de expressões. E parou de chorar, ficou ali, ao lado da minha cara, comigo a não acreditar. E a partir daí tem sido assim: eu a olhar para ela e a não conseguir acreditar que a vida me deu este milagre. Apesar de tudo. A minha bébé. Cabeluda (eu que achava que era carequinha) e loirinha, com os olhinhos azuis escuros (quem sabe como ficarão), com uma manchinha na testa e nas duas pálpebras (beijinhos dos anjos que a abençoaram, disse a pediatra), que não gosta de chucha, que não pára com as mãos nem quando dorme. A minha menina. Com os dedos dos pés como os meus (mas não com o último, que ia ser uma chatice) e tão branquinha que nem as pestanas nem as sobrancelhas se vêm. É a minha filha. E esse sentimento vem de um sítio qualquer no meu peito que eu nem sei onde fica. Amo-te, filhotinha linda.

A M.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Palavras para quê? Aconteceu um milagre!

terça-feira, 30 de agosto de 2011

E pois que já está tudo marcado: Amanhã nasce a minha filha.
Coisa mais linda, poder dizer isto!

Entretanto, estou a despedir-me do meu barrigão, que vou sentir muita falta dele! Só dele, que isto de estar com quase 79Kgs não me vai fazer falta nenhuma!

Hoje nem consigo dizer mais nada, estou com umas borboletas valentes no estômago!

VAI NASCER A MINHA FILHA!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

AIAIAIAIAIAIAIAIAIAIAIA QUE ESTÁ QUASE!

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Pois que agora é médico a toda a hora! Fui na passada 5ª e hoje já fiz um CTG. Na 5ª soube que a baby é grandona, com 36 semanas já tinha 3,300Kgs. Hoje deu tudo bem no CTG, ela está bem, mas a médica diz que está grande o suficiente e que, como tem andado meia paradona nos últimos dias, o melhor é antecipar mais uma semana. Resultado: Quarta-Feira, 31 de Agosto, correndo tudo bem, faz-se o parto. Falta uma semaninha para conhecer a minha bébé! Entretanto, há mais um CTG na 6ª e uma consulta na 2ª dia 29. Para ver como anda a criatura. E eu vim de lá toda contente!Saber que está tudo bem é tudo o que eu quero. O resto não interessa nada!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Hoje acordei toda inchada e dorida. As mãos quase não fecham, os pés enormes, a cara toda feia. E dói tudo, quando ando, quando me sento, quando me levanto. Hoje está a ser um dia difícil, e só me apetece fazer festinhas na barriga e falar com a minha bébé. Estou desde manhã a convencer-me que tenho de sair de casa, senão passo-me, mas nem depois do banho me apeteceu vestir. Voltei à t-shirt e aos calções do JL porque são os únicos que servem. A M. está aqui às voltas na minha barriga, neste axacto momento. Já falta tão pouco!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

No máximo, faltam 27 dias para a M. nascer. Parece que ontem estava a dar injecções na barriga e a passar manhãs no HSM e passou rápido. Rápido até demais, que estou a gostar tanto de estar grávida. Tantos anos a desejar isto, e tive tanta sorte que tudo tem corrido tão bem, tenho quase pena de que esteja a acabar. Tenho saudades de algumas coisas, ginásio, saltos altos, comer maçãs com casca, beber quando apetece, mas sei que vou sentir falta disto. Tenho passado momentos indescritíveis, que nem consigo descrever. O que sinto quando vejo a minha barriga aos pulos nem consigo descrever. É muito grande, o que se passa desde o dia 3 de Janeiro de 2011, quando ouvi ao telefone a médica a dizer "Parabéns, está grávida!". Ainda choro cada vez que me lembro disso. Mas também, agora choro por tudo e por nada!
hoje faz 7 anos desde que algo aconteceu e mudou a minha vida. para melhor.
Não dava para dondoca. Estar em casa de descanso é uma seca.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Ás vezes tenho sonhos ridículos. De serem tão reais, são ridículos. E nesses dias o meu coração encolhe.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Tenho de arranjar coragem para me ir enfiar no cabeleireiro e fazer tudo, para não pensar nisto quando nascer a baby. Madeixas, cortar (que isto de não ir lá durante 6 meses não tem jeito nenhum), mãos (que as peles estão uma vergonha e isso eu não consigo fazer sozinha) e pés (que até tenho vergonha de mostrar). Haja carteira e paciência, que aquilo dura uma série de horas. Cada vez que sei de colegas minhas que vão todas as semanas ou quase ao cabeleireiro nem acredito como têm paciência. Eu levo dias até me decidir a enfiar lá.
E encontrar uma solução para pés ULTRAMEGA secos, calcanhares horrorosos que sugam todos os cremes possíveis e imaginários e que continuam horríveis de tão secos? Ainda por cima, é mais no esquerdo, que o direito até está mais ou menos. É muito idiota, mas ando a lidar com isto há um ano, já experimentei tudo o que me aconselharam e nada faz efeito. Coisa mais horrorosa, que detesto ver, são pés de mulher todos secos e com rachaduras, e ando nisto há um tempão. Na net há milhares de receitas, já experimentei um monte delas, e fica tudo na mesma. Coisa feia.
Agora chega. Perdeu a graça.
Segunda feira foi o 1º dia de atestado, e estive na IG das 10h30 às 16h. Na terça passei o dia inteiro a trabalhar em casa. Hoje estive a trabalhar em casa das 8h às 10h, fui para a IG e saí de lá às 16h, totalmente à má fila, com recado à secretária que não me estava a sentir bem e que tinha de ir para casa, porque era suposto ainda esperar que me chamassem de novo. E quem tinha de me chamar ainda nem sequer tinha chegado do almoço. Assim não dá. Será que alguém entende o que quer dizer estar de ATESTADO MÉDICO????

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Já foi. Já entreguei o atestado, falei com os chefes, deixei o trabalho encaminhado e voltei para casa Às 15h30, porque estava uma pilha de nervos com esta coisa toda. Não consigo sentir que isto seja normal, não há hipótese. Aprender a relaxar vais er o maior desafio agora. Apesar de ter trazido trabalho para casa, obviously...nem eles deixam outra coisa....um colega que supostamente está de licença parental tem ido à IG todos os dias, tal é a pressão que colocam em cima de nós. Enfim...início de uma nova era: agora à espera dela, depois, para ela.

domingo, 31 de julho de 2011

Amanhã vou à IG entregar o papelucho do atestado que me vai deixar em casa no mês de Agosto e depois começo a licença. Resultado: IG só lá para Fevereiro. Está-me a fazer imensa confusão, desde que acabei a faculdade que nunca estive mais de 3 semanas fora do trabalho, e isso foram férias...depois da M nascer, é outra coisa, mas até lá....é verdade que me sinto nas lonas, esta recta final do forget (forguet para os amigos) deu cabo de mim, ando, ou melhor, quase não ando por causa dela, com uma flha da mãe de uma dor ciática na perna esquerda que me prende os movimentos porque dói bastante, e pelos vistos a minha placenta não está lá aquelas coisas. Resultado, agora ficas em casa quer queiras quer não. E isso não tem graça nenhuma. Ficar em casa a olhar para o tecto para quê? É que não me apetece nadinha...até consegui fazer o trabalho que queria, mais umas horinhas hoje e amanhã deixo tudo "encaminhado", mas não gosto de ter de me afastar assim...tenho medo de perder o "andamento", de que algo mude por lá e que eu esteja longe...mas a M está primeiro, e isso é que me importa. E ela anda para aqui às voltas, numa constante rave na minha barriga, a resolver espetar os pézitos nas minhas costelas quando me tenho de manter mais dobrada (por exemplo a conduzir). Como é possível amar tanto alguém que nunca se viu?

sexta-feira, 29 de julho de 2011

O BUG

Essa é a nova moda por aqui. Tenho dois fantásticos na minha equipa que não se estão para chatear com nada, e tudo o que os faço repetir, por causa de falta de cuidado e distrações, formatações erradas, erros de português e afins, não é culpa deles, porque têm um bug no PC.E preciso MUITA paciência....que nunca foi o meu forte! Eu sei onde é que essa gente tem bugs! Aqueles cérebros devem ser uns ninhos valentes, é o que é!

FORGUET o FORGEP

E hoje acaba-se o FORGEP! Nem dá para acreditar! Ontem foi até quase às 22h, mas ficou o malvado do trabalho entregue, e hoje é a apresentação, mas como não vou ser eu a fazer, já me sinto livre daquilo. Ó coisinha chata de fazer! Mas já está! O mínimo é entregarem-me 2 certificados (partindo do princípio de que passo naquilo, que ainda não sei os resultados), que a M. levou esta pastilha toda! Acho que já criou anticorpos contra formações profissionais!!!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Acabei por comprar um mp4 para a sobrinha, que tinha feito 11 anos. Comprei aquilo toda contente, a achar que ia ser um sucesso, eu ainda me lembro do que gostei quando me ofereceram um walkman (enorme), quando fiz 11 aninhos! Pois. Não ligou nenhuma áquilo...nem sempre se acerta, é o que é!

33 semanas

A M está óptima, fomos fazer a eco e ouvi o que queria: que a bébé está óptima! 2288Kg, ao que parece, vai ser matulona! Não deu para gravar porque os 2 dvds que levámos deram erro, mas também não se perdeu muito, que a bichinha já está tão enrolada que não se percebe quase nada. Deu para ver a boquinha a mexer, mas de resto não percebi mais quase nada.
Está tudo bem. E isso é a única coisa que queria ouvir!

O estranho foi quando ele, a ver a placenta, me disse que se via que era uma grávida que me cuidava, mas que apostava que tinha elevados níveis de stress...e me perguntou o que fazia e se não achava que estava na hora de ir para casa, que por enquanto estava tudo bem mas que podia não ficar assim se continuar com a vida que levo. Pois. Parece que não se safo de ficar de repouso à espera da baby! O Forgep acaba esta sexta, pelo menos até aí tem de ser, já que o resto até posso fazer a partir de casa. É incrível como o nosso corpo reage, como mostra o que se passa! E a única coisa que importa agora é ela, é nisso que tenho de me focar!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Sentir a minha filha na barriga é a compensação de tudo, justifica tudo. E, às vezes, o tudo quer dizer tanta coisa!
Que raio é que se oferece a uma miúda que fez 11 anos? No sábado vou ver a minha sobrinha e ainda não lhe dei a prenda de anos, vou ter de comprar até lá e não faço a mínima ideia do que comprar!
Hoje estou de férias. No papel, porque isto de férias não tem nada: estou com o nariz metido em papéis desde as 8 da manhã, amanhã é o exame do FORGEP. E para a semana temos de entregar e apresentar o trabalho, o que implica que este fim de semana já foi à vida, antes ainda de começar. São os últimos dias de trabalho, mas estão a ser meios puxados....Já só trabalho durante a próxima semana e tenho TANTO para fazer na inspecção, nem consigo pensar nisso que começo a hiperventilar!
No meio há uma coisa boa: na 2ª vou fazer a 3ª eco importante, daquelas que levam imenso tempo e eu tenho oportunidade de ver a baby com calma! Apesar de ter resolvido não fazer a eco 3D, estou desejosa de a ver. Mesmo que não dê para perceber bem como vai ser a carinha dela, quero muito vê-la!

domingo, 17 de julho de 2011

A questão é que, estando de 32 semanas (amanhã, fiquei com um medinho na alma de que a M. se lembre de fazer o mesmo...resultado, hoje a mala da maternidade já ficou feita (andava a engonhar para fazê-la há semanas)!
Ontem nasceu a Leonor, às 33 semanas. Parece que correu tudo bem, mas é pequenininha, teve de ir para a incubadora. Mas correu tudo bem e se calhar, ela não conseguiu aguentar nem mais um minuto sem olhar para aqueles pais que tanto fizeram para que ela aparecesse. Mais uma família feliz. E eu também fiquei, muito, porque há uns tempos lamentava aqui a tristeza de mais uma desilusão para eles. Mas agora é verdade, um sonho de tantos anos concretizou-se, e nada do que ficou para trás interessa. Já és pai, J.! E eu estou muito feliz por ti!
BEM VINDA, LEONOR, QUE SEJAS MUITO FELIZ

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Depois de andar a levar na cabeça cada vez que ia ao médico, desta vez foi diferente: parabéns porque às 30 semanas ainda não engordei 10 Kgs. Quem diria! Ao que parece, dei uma estacionadela no aumento de peso (isto considerando que comi mal que se farta durante as férias)!

De qualquer forma, olhar para o visor da balança e ver 73,8 é de doer!!!

domingo, 3 de julho de 2011

Ando meia angustiada com o trabalho. A médica quer pôr-me de baixa à força, e eu acho que isso vai ser complicado. É óbvio que a prioridade é a baby, e o seu bem estar, e estar tão preocupada com o que isso vai implicar em termos do meu emprego, principalmente sendo funcionária pública, é no mínimo, ridículo. Mas o facto é que é verdade. Amanhã tenho consulta, vamos ver como é que vai ser...se continuar como o previsto, trabalho mais umas 2 semanas, até meio de Julho. Os argumentos da médica são que, apesar de eu ainda me sentir bem, é uma gravidez de risco, com grandes riscos de bébés prematuros, e que eu tenho de assegurar que a baby cresce antes de sair. Que já devia estar a fazer repouso por causa disso. Que está tudo bem comigo e com ela, mas que é ainda pequenina e precisa de mais umas semanas na barriga, e que estou a correr o risco de que nasça antes do tempo. São argumentos difíceis de bater....Vamos ver o que sai dali amanhã.
Ainda por cima, o FORGEP só acaba em finais de Julho, isso pelo menos tenho de acabar!
A baby, em princípio, nasce em Setembro, ou seja, volto ao trabalho no início de Fevereiro. Fim de Fevereiro, após o gozo das férias que deixo deste ano (que já levam com uns dias valentes do ano passado, que não gozei por causa do trabalho no final do ano passado). Ou seja, fora do posto uns 7 meses. Estou numa fase cheia de trabalho, e durante a minha ausência alguém tem de fazer o meu trabalho, o que vai ser especialmente difícil no final do ano.
Em Dezembro é a altura dos convites para manutenção do cargo. E eu fora, com o meu trabalho todo a cair nas costas dos outros. Melhor, com o novo governo, foi decidido acabar com o cargo dirigente daquele que me antecedeu no cargo, o que muito provavelmente implica o seu retorno à inspecção. E o lugar de onde saiu está ocupado por mim até Dezembro, mas nessa altura, quando for preciso nomear para o ano, eu não estou lá. Por mais que eu saiba que tenho sido bem melhor que ele, que enquanto esteve na função não fez a ponta, estou preocupada. Porque não estou lá. Por mais que precise de dinheiro, não é o que passei a ganhar a mais que me compensa,o que me custa horrores é que, se voltar a a ser inspectora, volto à vidinha de mala às costas pelo país, durante 3 meses seguidos, às vezes, com a M. pequenina. Nisso é que me custa pensar. E são estes pensamentos que me estragam o sono agora.
E cá estamos, em mais um Domingo passado a corrigir relatórios...como se pode ver, não seria disto que iria sentir falta...

Quase 30 semanas

Melhor que pensar que amanhã faço 30 semanas de gestação, é pensar que, no máximo, faltam 10 para conhecer a minha baby. A MINHA BABY. Minha filha. Por mais estranho que seja, ainda me custa a acreditar que se vai tornar realidade. Tanto tempo à espera deste momento, há alturas em que nem parece real!

OK, a barrigona enorme faz-me acreditar rapidinho! E os quase 10 Kgs a mais também ;)
Estou para ver em quanto tempo vou conseguir recuperar aquilo que era!

Amanhã é dia de consulta, vamos ver se M. está bem disposta e se se deixa ver melhor que da última vez!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

De Férias

Estou de férias desde dia 9 e já precisava! A parecer uma tenda de campismo, com 28 semaninhas em franco crescimento, cá estamos no Algarve, mais cedo do que o habitual, mas já em cima do limite! Julho e Agosto vão ser meses mais limitados, pelos vistos! Até agora tem tudo corrido maravilhosamente, mas começo com alguns desconfortos: tonturas, cansaço, dorzinhas aqui e ali. Mas a sentir que vivo um milagre, cada vez que a sinto mexer-se dentro de mim. E isso é grande demais!

terça-feira, 7 de junho de 2011

26 Semanas

Já 26 semanas e a baby está em forma! Grandona, pelo que dise a médica! Tirando os habituais reparos ao peso (já engordei 8 kilos, um desatino!), estava tudo bem. Só que me desorganizou o esquema todo. Por ela, eu já estava de baixa, acha um disparate o esforço. Depois de muita conversa, que vou estar 2 semanas de férias agora, e que não ando em transportes públicos, e blábláblá lá concordou, mas com um aviso claro à navegação: no máximo, entro de baixa após a próxima consulta, que é dia 4 de Julho. E a baby só nasce na 1ª semana de Setembro! O que é que eu faço esse tempo todo? Como é que eu faço em relação ao trabalho??? E com a treta do FORGEP que só acaba no final de Julho? Mais um monte de recomendações de descanso, de não fazer qualquer esforço. Isso é que para mim é difícil! Já me irrita não poder fazer as coisas normais, quanto mais ter ainda de reduzir o resto...Obviamente, a prioridade é a baby, não vou fazer nada que a possa colocar em risco, mas é duro! Cada vez que penso que uma ausência tão grande do trabalho pode colocar em risco o lugar, até me arrepio! Não pelo deixar de ser Chefe de Equipa, que a vida até ficava bem mais simples, mas BEM MAIS SIMPLES se isso acontecesse, mas pelo que isso significa (e não em termos de $, que a diferença não justifica as responsabilidades e as chatices), mas porque se volto a ser inspectora volto à vidinha de andar com a mala às costas, a trabalhar aos 2 meses de seguida fora de Lisboa. E se antes não gostava, agora, com um bébé, a coisa fica ainda pior! Essa é a preocupação! É óbvio que nunca me poderiam tirar da função por estar ausente, de baixa e depois de licença de parto, mas basta alegarem outra coisa qualquer e bye-bye, e sem poder defender-me! E isso preocupa-me a sério! Vou estar ausente todo o 2º semestre, principalmente no final do ano, que é sempre terrível aqui, no planeamento do ano de 2012...Estou a ver o caso MUITO mal parado aqui para os meus lados, neste aspecto....O resultado desta brincadeira foi ter acordado às 4h30 e não ter dormido mais. E agora vou trabalhar, que agora só volto à inspecção dia 4 de Julho (4 dias de forgep e o resto férias). Basicamente quando vou entrar de baixa....pelo menos essa semana tenho de trabalhar....apontemos o descanso forçado para dia 11 de Julho!
A médica chegou ao ponto de cruzar os braços e dizer que nunca teve grávida nenhuma que quisesse tanto continuar a trabalhar! Até me disse que se o problema era o ordenado, que não me preocupasse que não ia perder nada! O JL só olhava para mim, a tentar convencer-me, e ela sem perceber nada...enfim, vamos ver como a coisa anda...

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Estado actual: Sempre cansada e com os pés a parecerem as patas de um elefante, de tão inchados que andam. Quer-me parecer que estes últimos meses não vão ser pêra doce!
Na mais pura das ingenuidades, achava que votar devia ser uma coisa fácil! Sendo a primeira vez que voto com o cartão do cidadão, lá recebi a cartinha a dizer que votava no Lumiar. Muito bem. Agora só uma perguntinha: ONDE É QUE SE VOTA NO LUMIAR???? É que a freguesia é só uma das maiores de Lisboa, não é propriamente uma aldeola qualquer onde se dão duas voltas e se volta ao mesmos sítio....às voltas com essa questão no sábado e não descobrimos nada mais: nem no site do recenceamento, nem no site da CNE (sempre fora de utilização, claro). Valeu-me a srª da mercearia, que lá me disse onde costumava ser, mas que era capaz de ter mudado, porque já não votava há anos. Por pura carolice, lá fui e por acaso ainda era no mesmo sítio. Claro que a epopeia não acabou aí: a #$%"& do cartão não tem o n.º de eleitor visível e o número de eleitor que vinha na tal cartinha estava errado e lá estive numa fila que não era a minha. "Tem de ir ao gabinete de apoio ao eleitor" (ficava no outro extremo de uma secundária enorme). Lá fomos. Mais uma fila, só de velharia, nem tive coragem de usar a barriga). Finalmente, lá me indicaram a secção certa e volta tudo atrás. Mais uma fila. Lá votei, mas com a terrível sensação de que se calhar isto não vale a pena o esforço. Com o JL foi a 2ª parte da novela, porque ainda não tirou o cartão do cidadão e vota na freguesia da morada onde viveu assim que veio para Portugal (sim, qeu isto de actualizar os documentos dá mto trabalho......). Outra festa, desta vez com "Freguesia N. Srª Fátima". Como a minha avó morava nessa freguesia e votava na universidade ao pé da Av. Berna, lá fomos. Até parece! Lá descobrimos a rua onde era a secção de voto dele, mas não fazíamos a menor ideia de onde ficava...um carrito com GPS lá terá as suas vantagens, digo eu...mas o pior é que perguntei a umas 4 pessoas e ninguém sabia onde ficava aquilo! Lá me tive de armar em bruta, entrar por uma secção de voto qualquer e pedir informações, que ali não havia sector de apoio ao eleitor. Lá nos explicaram e lá fomos. Umas 2 horas para votarmos. Não é fácil exercer a cidadania por estes lados! Ou então é para quem vai votar se sentir um herói face à absurda abstenção que existe: é que votar não é coisa para meninos!!!

domingo, 5 de junho de 2011

O quartinho da M está pronto. Lindo. Quando acabámos de o arranjar ontem fiquei toda emocionada. Tantos anos com o quarto sem nada, a servir de depósito de tralhas, sem o poder arranjar como queria e sem ter coragem de fazer outra coisa com ele, e agora, está delicioso! Só falta a baby! Já chegou a encomenda da chicco, carrinho, ovo e base para o automóvel, marsúpio, estirilizador de beberons e espreguiçadeira que vira cadeirinha de comer. De prendinha ainda vieram 3 biberons e uma chucha. Hoje comprámos o intercomunicador e a bolsa para o carrinho de bébé! Pouco a pouco, está tudo a ficar pronto! E eu a ficar enorme, com as túnicas já pareço uma tenda de campismo! E a adorar! Tirando a parte de me sentir sempre cansada, essa parte não é lá muito simpática...E amanhã temos médica, vamos ver se está tudo bem!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Definitivamente, a precisar de férias! Não ter uns dias para descansar desde Julho já começa a acusar. Ando cansada, física e psicologicamente. Têm sido dias complicados, com muitas emoções, e começa a deixar marcas...O JL tem ficado em casa, e eu venho trabalhar, apesar de ter direito a ficar com ele. Um terço porque tenho muito que fazer e o resto porque quando estou com ele emociono-me muito, ele continua destroçado, chora muito pela falta do pai, pela mãe que está longe, por tudo, e eu fico de rastos de o ver assim, e tenho medo que isso não faça bem à baby. Já percebi que quando ando mais nervosa ela não mexe, e isso assusta-me. Segunda-feira vou à médica, estou desejosa e a precisar MUITO de ver a minha bébé e, principalmente, que me digam que ela está bem. Hoje não me sinto lá muito bem e é dia do forgep acabar às 20h. Deixei o JL a começar a pintar o quarto da M. As coisas estão a avançar, devagarinho, mas em frente!

terça-feira, 31 de maio de 2011

Descanse em paz, Sr. B.

terça-feira, 24 de maio de 2011

O FORGEP...AI O FORGEP....

Os velhotes

É inacreditável, quando devíamos estar a viver este momento bom ao máximo, parece que algo se conjuga para que surjam os problemas: a minha avó caiu em casa e quebrou o colo do fémur, teve de ser operada e saiu ontem do hospital. Lá está em casa dos meus pais, sem quase conseguir andar, e antevê-se uma recuperação lenta e dolorosa. Estas coisas aos 87 anos e com alzheimer não são pêra doce. A mommy aflita com a logística, que não é fácil, tadinha! Por outro lado, o pai do JL teve um AVC grave, está inconsciente no hospital, à espera de passar as 48h determinantes nestes casos. Não sabem ainda a extensão dos danos, e o JL está de rastos. Do outro lado do mundo, a achar que agora é que chegou a hora do pai. Está numa aflição terrível, numa angústia permanente e lancinante. Os nossos velhotes estão a fraquejar. E isso é muito difícil de encarar. Nesta altura, devíamos estar todos a celebrar a vida, e não o fim de quem amamos. Dias tristes, negros, estes que têm passado.

24

E já passaram 6 meses! Por mais que esteja desejosa de ver a carinha da minha baby, até achoq ue a gravidez está a passar muito rápido! Adoro estar assim, adoro ver a barriga a crescer, amo o que sinto cada vez que ela se mexe, que o JL a consegue sentir quando fica com as mãos coladas na minha barriga. Uma vida inteira a querer ser mãe, 5 anos a sofrer por achar que isso nunca se ia concretizar, estou a viver o meu milagre agora.
Não interessa estar com 70 Kgs, nem as mãos e os pés inchados, a exaustão ao final do dia e o não dormir nada de jeito, por insónias crónicas e dores nas costas. A minha bébé está dentro de mim, e isso é o melhor que me aconteceu até hoje!
Não tarda passa um ano desde que passei a ter estas funções e os meus fantásticos inspectores continuam a surpreender-me! Uma vem-me dizer que tinha fisioterapia às 17h, o que eu até elogiei, porque assim não interferia com o trabalho, e levo logo como resposta que ia pedir para mudar, porque ir à fisioterapia era uma ausência justificável, pelo que ia aproveitar: resltado, passou aquilo para o meio da manhã. Inacreditável! Como é possível as pessoas terem esta postura? E depois queixam-se das avaliações, e que não são consideradas, blábláblá. Depois chego à conclusão que numa equipa com dois juristas o relatório vem cheio de remissões legais incorrectas ou revogadas. Também, qual é o problema de justificar um pagamento indevido com uma lei que se aplica à Coutada de Ourém? Nenhum, certo?!? Eu é que devo ter a mania que sou esquisita! Depois chego à conclusão de que não fazem metade do que eu peço num outro relatório. Definitivamente, esta semana de trabalho não está a ser fácil!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

o blog está a sabotar-me!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Isto na minha vidinha é sempre assim: 8 ou 80! Depois de semanas sem nada de jeito para fazer, agora tenho trabalho até aos olhos! Mais o fantástico FORGEP, coisa linda e fantástica que me tira 2 dias de trabalho todas as semanas e que tem dias das 9 às 20h de aulinhas. Montes de coisas para ler e ainda um maravilhoso trabalho de grupo, com um monitor meio alucinado com um defeito na fala, o que se torna lindo nas audioconferências que temos de assistir. Mas não há-de ser nada, e eu até gosto de andar assim cheia de coisas. Só que a gravidez dá um certo cansaço, disso não me livro, há alturas em que parece que se desliga o botão da energia e eu fico boa para me deitar no chão. Depois passa, mas às vezes dá uma exaustão desgraçada!

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Na mais pura essência do burgo: depois de um tempão sem quase nada para fazer, isto anda a um ritmo meio alucinante, o que eu até gosto, mas faz-me não ter tanta vontade de andar por aqui. Esta semana tem sido de reuniões de "partir pedra", a discutir relatórios e a organizar novos trabalhos. Resolvi pôr em prática umas técnicas que aprendi na formação e, quem diria, até acho que funcionam!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

E pois que na eco estava tudo bem! É sempre um alívio, por mais que sentisse que nada ia correr mal, há sempre um medo lá em baixo que vai minando. Mas a M. estava em grande! E a a eco foi de quase 20 minutos, com um médico impecável, que ia dizendo tudo aquilo que ia vendo e medindo. Saí de lá com a alma cheia! Nem o ralhete das enfermeiras me afectou! É o peso...já engordei 6 Kgs, um excesso....estou feita com isto....e elas dão-me cabo da cabeça, que às 21 semanas devia ir no máximo em 4 Kgs de aumento, e trálálá. E o que me dá raiva é que não ando a fazer asneiras, nem serve para me consolar! Mas a M. está bem, e começou a mexer-se mais, e isso é que importa! O resto logo se queima.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

21 Semanas

E hoje é o dia da ecografia morfológica, coisa importante e que me está a causar um certo aperto no peito! SInto que está tudo bem, mas dá sempre um medo desgraçado! Lá vou passar a tarde nos lusíadas, eco e depois consulta. Só quero chegar a casa logo, cheia de boas notícias e com o peito menos apertado. E com o DVD da eco para guardar e ver sempre que me der saudades!
Timidamente, a M. lá vai dando notícias do interior: de vez em quando (MUITO DE VEZ EM QUANDO), lá sinto um toquezito e ontem ouvi o coraçãozito bem disparado (fantástica invenção aquela).
Entretanto, estou aqui desde as 8 da manhã e não consigo pegar em nada para trabalhar....está-me a parecer que hoje de manhã a coisa não vai avançar lá muito!

terça-feira, 26 de abril de 2011

A diferença de idades revela-se quando a sogra insiste em falar da bisneta e não da neta, sempre que fala da M. E depois ri-se, diz que achava que pensava que já tinha arrumado essa gaveta, e que fica toda baralhadinha. Tem 3 filhos, 8 netos, já tem uma bisneta e mais um a caminho, e soube agora que vai ter mais uma neta. Pois é, D. C., por aqui a malta gosta é de baralhar o sistema!
Por absoluta coincidência, o nome que escolhemos é o nome da irmã que a sogra preferia, e que faleceu há uns anos, então adorou, já se fartou de me agradecer. E nós lá damos a entender que esse foi parte do motivo da escolha, quando efectivamente, fui eu que sugeri o nome e nem sabia dessa história. Mas se de uma coincidência se pode fazer alguém tão feliz, porque não?

20 Semanas

5 meses já foram! Já não falta tudo!
Às 5 da manhã da noite passada, estava acordada e sossegada na cama e acho que a baby se mexeu! Mas foi uma coisa tão de levinho, pareciam borboletas na barriga, que continuo meio na dúvida se foi ou não!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

O pai do JL está internado em São Paulo. Desmaios sucessivos nos últimos meses, desta vez com direito a queda estrondosa, que lhe fracturou a nuca. Tem oitenta e muitos, como a minha avó, é uma preocupação constante. O JL está desorientado, e vai na sexta feira para lá. Por mais que compreenda, hoje quem está com o coração na boca sou eu. Nem sei o que faria se fosse comigo, não me imagino sequer a viver longe dos meus pais, quanto mais a estar sem os ver há dois anos e saber que o meu pai não vai durar muito mais...mas dá-me esta possidonite pegada, que não quer que ele vá embora. São duas semanas, nem chega, não é drama nenhum. Mas custa-me horrores. E eu não posso viajar agora, nem tão pouco quero ou sequer posso, que só a viagem são quase 1000€. Que coisa mais contraditória, não há paciência!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

No Sábado comemoraram-se os 73 anos do meu pai. Oito pessoas à mesa e uma na barriga, e foi dos jantares mais engraçados dos últimos tempos! A S. trouxe uma prenda para a prima, anda deliciada com a ideia! Como já vai ter 11 anos quando ela nascer acha-se super importante!
Um passeio à beira rio no Sábado à tarde trouxe um brinde: uma daquelas constipações irritantes, com direito a dor de garganta e de cabeça e uma vontade estúpida de não fazer NADA. Fraquinha....maricas...é o que acontece quando nunca se tem nada. nunca estou doente e depois, quando tenho alguma coisa, parece que estou nas últimas!

19 semanas

Ontem utilizei pela primeira vez o doppler que me emprestaram e, ao fim de umas quantas (muitas) voltas na barriga, consegui ouvir o coração super acelerado da minha baby! O JL delirou! Estou desejosa de a sentir!
Entretanto, a caminha de grades já está em casa (por armar), a cama que tinha no quarto dela saiu ontem, o JL diz que vai começar as pinturas no próximo fim de semana. Já se fartou de receber prendinhas, entre bonecada e roupa, já ganhou umas coisinhas! Todos os dias ela cresce mais um bocadinho e todos os dias nós fazemos alguma coisinha para ela. Parece-me um negócio justo! Já davas era um toquezinho na minha barriga a agradecer, certo?!? Afinal de contas, já tens quase 5 meses!
Para não quebrar uma tradição longa, vai começar o desvario das alterações de férias. Em Março tenho de as marcar, mas sou totalmente incapaz de prever quando é que vou gozá-las. Chuto umas datas e depois logo se vê. Este ano surgem mais dificuldades: tenho de fazer uma formação ultra enjoativa de 120 horas presenciais mais trabalho, que começa em Maio e em que as aulas presenciais são às quintas e sextas. Vai até fim de Julho. O JL não pode tirar férias em Agosto (sendo que aí também não vou ter grandes condições para nada senão para rebolar, pelo que me parece) e a borlix das férias no Algarve são no final de Junho e início de Agosto. Não há condições! Em Setembro entro de licença, e por aqui não acham gracinha nenhuma em deixar passar férias para o ano seguinte! Tenho de inventar uns esquemas, a fazer-me de muito benemérita, que não posso tirar férias porque o trabalho não pode atrasar, para ver se consigo deixar uns diazitos. No final do ano isso até foi verdade (lá tive de aturar as trombas do JL que estava de férias nessa altura) e fiquei com 32 dias para este ano. Odeio estar de férias se não estiver bom tempo e se não tiver planos nenhuns, por isso a coisa não vai ser fácil! Tanta complicação para uma coisa tão boa, que é não vir trabalhar!!!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

No sábado à noite, no meio das compras, tivemos de pedir a um empregado que nos fosse buscar um tapete. O rapaz, super delicado, lá foi buscar uma escada gigantesca e esteve uns dez minutos à procura do que queríamos no meio de umas prateleiras enormes, no alto, cheias de tapetes enrolados. Quando desceu, vinha com as mãos pretas de pó e sujou a testa com aquilo. O JL começou a ajudá-lo a abrir o pacote e o rapaz só tossia por causa do pó. Quando o JL lhe diz "nunca mais são 10h" (hora de encerramento da loja), o rapaz olha para nós e diz "depois de tanto tempo sem emprego, acredite que podia ficar cá o resto da noite". Fiquei com um nó na garganta. Aquela frase, dita como foi, teve o peso de uma realidade cruel e cada vez mais pesada e, infelizmente, mais habitual. Posso não ganhar muito, nem o JL, mas a garantia de que será difícil perdermos o emprego, eu principalmente, dá uma paz de espírito que vale muito. Principalmente nestes momentos. A minha cunhada está desempregada, e está a passar-se, estão os dois em pânico de que seja difícil arranjar novo emprego. São situações terríveis. Que assumem contornos assustadores quando tocam a pessoas perto de nós.
68 Kgs.

OH MY GOD!!!!!!!!!!!!!!!!!
Sabe-se que as hormonas estão ao rubro quando uma simples frase que o JL disse, que envolvia as palavras "a mãe dela" me deixaram com as lágrimas nos olhos. Muito lamechas.....
No sábado enfeirámos: tinta e barra (linda) para as paredes, uma mesinha de cabeceira, candeeiro de tecto e para a luz fraquinha da cabeceira, cortinados e tapete. Muito despachadinhos, nós: entrámos às 20h15 no Leroy Merlin e às 21h estava tudo escolhido e comprado. A mesinha foi do IKEA. Nota mental: NUNCA MAIS COMER NO IKEA. Só para quem gostar de comida de avião!

O melhor de tudo é que estou a conseguir fazer para ela algo que nunca tive, porque vivíamos numa casa pequenina e eu dormi na sala até aos 15 anos. E isso é grande.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

O que virá agora? Estou absolutamente convencida que o Subsídio de Natal já era, e vamos ver se o de Férias não dança também....logo este ano, que implica tanta despesa...a coisa já foi mais fácil, com certeza!
Tenho para mim que amanhã vai ser especialmente penoso! Já me embrulhei toda hoje, por 3 vezes, por estar completamente convencida que hoje é sexta-feira! Tadinha....

Momento ZEN

Hoje de manhã, no meio do habitual caos que é andar em Lisboa em mais um dia de greve do metro que me fez demorar 50m a fazer um trajecto que, em dias maus mas normais me leva 15m, no pára-arranca eterno, com toda a gente a passar-se ao meu lado, só apitadelas e má cara, dei comigo a olhar para as árvores do Campo Grande, deliciada com o que via! Devia ser por estar num dia bom, só me lembrava dos passeios que dei no Hyde Park e no St James Park! E depois deixei-me de coisas e dei uma de chico-esperta, que a lentidão daquilo já me estava a entrar nos nervos. Mas foi um momento bonito. Enquanto durou!

quarta-feira, 6 de abril de 2011

67,5 Kgs

Não comeces a ter juizinho, não!
Depois de me ter permitido a tantas parvoeiras, voltar a comer decentemente, menos pão, sem doces, sem nada com piada, basicamente. Custa!
Facto: Gaja que é gaja não se aguenta com 4 pares de calças. Hoje foi o ridículo de ter tudo sujo, tive de vir trabalhar com os jeans de fim de semana! Estou aqui que nem saio do gabinete, se a Direcção me vê, levo um daqueles fantásticos olhares! Tenho de ir comprar mais roupa. E uns sapatos rasos (que odeio), que isto de andar em cima das antas já não está tão fácil como era, ao fim do dia, são os pézitos que me lembram do novo "estado da nação". Dá para antecipar o dia 20????
Adoro quando chega este calorzinho gostoso a Lisboa. Adoro a luz desta cidade, adoro chegar a casa e ver a luz a desaparecer devagarinho, com o sol alaranjado e até rosado ao longe. Finalmente, a primavera!

terça-feira, 5 de abril de 2011

Ando outra vez a dormir mal. Esta foi a 3ª noite em que devo ter acordado umas 400 vezes, sempre com sonhos estúpidos. Adorava ter um interruptor para desligar a cabeça quando me deito! Quando tenho noites assim ando exausta! E agora nem dá para tomar o belo do dormonoct que me faz capotar e dormir decentemente uma noite (às vezes nem ele). Ando a treinar para quando nascer a baby!

Miradouro da Graça

Ontem tive uma horinha livre e como andava por ali, fui até ao Miradouro da Graça. Há anos que não ia ali! Adoro dar uma de turista em Lisboa. Danada rotina casa-trabalho-casa que não nos deixa aproveitar estas coisas! Cidade linda, esta! Ainda por cima, estava um dia lindo de primavera! O miradouro estava cheio de turistas, deu saudades de andar assim a ver coisas bonitas numa cidade qualquer que se está a descobrir! Melhorou o meu dia, passar ali aquela horinha, deliciada com o que via, com o sol, com a calma daquele sítio.

domingo, 3 de abril de 2011

Ontem comprámos uma poltrona e escolhemos o berço. Lindo, da Trama, série girafa, branco mate e abeto. Depois de contactar 3 lojas, o preço é +/- o mesmo, mas a dificuldade em comprar é sempre a mesma! "Não temos em armazém, temos de encomendar à fábrica, pode levar entre duas semanas e dois meses!" É óbvio que até pode levar mais, mas é irritante a dificuldade de comprar o que se quer!
Entretanto, já temos mais umas coisinhas para A bébé, e o nome está (por enquanto) escolhido. Ainda não definitivamente, ou se calhar até está, mas estamos a habituar-nos a chamar esse nome. Falta escolher o que fazer em relação às paredes do quarto. Infelizmente, não tenho grandes capacidades de imaginar "como ficará se". Para montar o resto da casa foi o mesmo stress. Depois até acho que fica como eu quero, mas não tenho grande espírito visionário. Quero fugir à lógica do tudo rosa, mas não consigo chegar a uma conclusão do que ficará melhor. 2 paredes pintadas de outra cor? Pintar até meio de outra cor e colocar uma barra? 2 paredes com papel de parede? Muitas incógnitas!!! Mas é uma coisa deliciosa, ir construindo algo para ela!
IRS feito. Cada ano recebo menos, não tem graça nenhuma! E se não fossem os tratamentos no privado dos últimos anos nem sei como seria. E para o ano vai ser pior. Lindo.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Sei que estás doente, S.. Até sonhei contigo esta noite. Mas a distância que se criou entre nós é tão grande que ainda não consegui ligar-te. Adorava que, nessa parte da minha vida, nada tivesse mudado nestes últimos anos. Sinto falta da companhia, do que era sempre que nos juntávamos. As três. E isso fez parte da nossa vida durante tantos anos. É muito estranha a vida. E eu continuo a sentir falta disso. De vocês. De como éramos antes. Ainda hoje não sei bem o que se passou, mas sei que a vossa falta no meu dia-a-dia é mais um pedaço meu que se perdeu. Espero que passes por este momento e fiques bem.
Hoje de manhã fiquei parada em frente ao espelho a olhar o meu corpo. Não só a forma, tão diferente, mas principalmente o significado. Parece que deu um "Click". Depois de tanto tempo a desejar isto, a sofrer pelo que não conseguia, depois de tanto tempo tão triste por não dar certo, é quase estranha a sensação de que já só falta esperar! Passei os primeiros tempos num misto de felicidade/pânico/ansiedade que ainda não me habituei à ideia de que "já é tempo de respirar fundo", como disse a médica. Às vezes acho que não é verdade, há muito deixei de acreditar que coisas grandiosas possam acontecer comigo. É o que provocam tantas desilusões seguidas. Tantas perdas. Mas é. A minha barriga redonda prova-o. Agora anseio pela primeira vez que a vou sentir.
Entretanto, vão-se (finalmente) fazendo umas comprinhas: já temos o roupeiro e a cómoda e já escolhemos a caminha (só falta comprar). Cada vez que vamos a um shopping compramos uma coisinha. A mommy em alto ritmo de produção de casaquinhos e botinhas de lã (que ficam lindos, lindos, cheios de mimos de mãe/avé). Adoro vê-la tão contente por mim. A minha sobrinha até gritou de contente por saber que ia ter uma prima, foi muito engraçado (lamento, S., não vai chamar-se Diana, como tu tanto me pedes!). E são assim os dias. Cheios de novidades. Mas, finalmente, sinto-me bem. E isso vale muito. Vale tudo.

quinta-feira, 31 de março de 2011

É UMA MENINA!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Aquilo com que já me ando mesmo a passar é com o facto de toda a gente ter palpites (montanhas de especialistas em obstetrícia/puericultura que se perderam!), e, pior que isso, histórias horríveis para contar, ou sobre o parto, ou sobre a amamentação, ou sobre tudo o resto. Não há paciência. Há uns dias, levei com dois filmes desses com, no máximo, uns 10m de intervalo. À segunda disse mesmo que não queria saber dessas histórias. Que coisa. Já passei muito para conseguir chegar aqui, é óbvio que sei muito do que pode acontecer. De bom e de mau. Mas, se forem más experiências, não quero saber. Já me bastam tantos medos que não me deixam aproveitar isto tudo na maior das plenitudes, já me basta viver como se fosse uma felicidade a prazo, aterrorizada de que algo não corra bem, não preciso de mais filmes! Só quero que me digam coisas boas, falar de coisas fofas, de roupinhas, de carrinhos, de decoração do quarto e coisas do género. E, no resto, esperar pelo melhor! O resto logo se vê, que para tristeza já me bastaram estes 5 anos.

Devo ser muito esquisitinha

Mas não gosto que pessoas que não me sejam próximas venham com a mão estendida e me mexam na barriga. E ver sem tocar, pode ser?!?
Finalmente comprei a primeira roupinha para o baby. Mas quero mesmo é vê-lo dentro dela, rápido, sff!
Não consigo deixar de pensar em algo que soube ontem e que me entristeceu tanto. Os maiores medos concretizaram-se, para alguém que estava a viver o mesmo sonho que eu. Não consigo sequer imaginar o que se passa dentro de alguém que passa por isso. E dói demais saber que estas injustiças acontecem. A vida não é justa.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Ontem consegui comer decentemente e hoje a tarefa é a mesma. Sem doces e sem parvoeiras. Mas a vontade de estar SEMPRE a comer qualquer coisa é surreal. Estou a engordar demais, uma parvoeira. Na segunda já vou levar a dose do "tem de ter cuidado, o peso está a aumentar muito depressa". Pois está. 5 kilos é demais para quem ainda não chegou aos 4 meses. É obvio que vou engordar, mas não queria nada que fosse demasiado, que depois para perder vejo-me aflita. Esta vidinha de casa-trabalho-casa durante a semana toda faz isto. Saudades do HP, é um facto. Aquilo faz-me manter o peso em níveis decentes e faz-me MUITO bem à cabeça. Agora que já me "soltaram mais as rédeas", tenho de começar a fazer umas caminhadas, a ver se ajuda um bocadinho.
Hoje foi leite e torrada às 7h, um iogurte às 10 e agora uma cenoura crua (hoje até me dei ao trabalho de trazer uma cenourinha descascada, para ver se não ataco a bolachada). O almoço vai ser frango estufado com salada. Vamos a ver se não me desgraço à tarde. Entretanto, o JL só me goza por causa da barriga, que já está BEM diferente do que era! Mas essa é a parte que eu adoro que esteja a crescer!

segunda-feira, 21 de março de 2011

15 Semanas

Quase quatro meses. E a barriga em franco crescimento!
Finalmente já me sinto melhor, até com energia, que era uma coisa que me andava a faltar! Até agora sentia-me sempre cansada, exausta, e sempre mal, sem perceber de onde vinha o mau estar, mas não estava bem! Agora isso já passou mais e já me pareço mais comigo! Parece-me que estou a entrar numa fase melhor! E gorda!

Dia do Pai


Por graça comprei ao JL uma prendinha para o dia do pai. Para ele, quer dizer, para ele vestir ao baby: um bodie dos Beatles (só encontrei imagem do bodie, mas o que comprei trazia um gorro também a dizer Beatles!

E ele adorou!

segunda-feira, 14 de março de 2011

14 Semanas e 66,1 Kgs

14 Semanas, final oficial do 1º trimestre (real)!

Recebi na sexta os resultados do rastreio bioquímico, até onde percebo e me explicou a enfermeira, está tudo bem! Fui buscar o resultado de coração apertadinho, passo sempre por isto antes de ter a confirmação de que está tudo bem, uma estupidez, mas não há nada a fazer! Hoje vou atrás da médica, só para ter a confirmação de que não preciso fazer a amniocentese. Isso assusta-me a sério...fazer um exame que pode colocar em risco o baby, depois de tantos anos à espera dele põe-me doida, nem consigo pensar nisso!

E agora o resto: 66,1 Kgs. Está a aumentar rápido demais...e a culpa é minha, tenho comido demais e feito muitos disparates (batatas fritas, queijo, bolachas, doces). Sei que vou engordar imenso, e isso é 100% pacífico, mas irrita-me saber que não estou a portar-me decentemente nesse ponto. Estou a sentir-me uma bola e sei que tenho de fechar a boca às porcarias que ando a comer. Metade da culpa é da ronha: o que dá menos trabalho, descascar fruta (malvado risco de toxoplasmose, mesmo lavadas as frutas têm de ser descascadas) ou pegar no pacote da bolacha maria e devorar metade? COMER DECENTEMENTE!

Entretanto, já "suspendi" as calças de sempre. Comprei 2 jeans e 2 calças mais oficiais (que me custaram os olhos da cara na womb, o único sítio onde encontrei roupa que não me fizesse sentir uma desleixada). Mania que toda a gente tem de gostar de leggings e de calças justas. Não gosto. Sou redondinha e aquilo não me fica bem. Toma lá morangos, 150€ por 2 pares de calças. Acho bem que as consiga usar muito MUITO tempo, que não vou comprar mais nenhumas. Já tive de comprar umas túnicas novas, mas isso é fácil, nem é preciso serem de mamã. Este mês estou nas lonas!

E agora vou comer os moranguinhos que trouxe de casa com o yogurte, para ver se hoje não devoro tudo o que me aparecer pela frente.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Que falta sinto do Holmes Place...habituada a fazer ginástica há tantos anos, esta paragem assim abrupta tem custado! Sinto no corpo e na alma! Aquela rotina umas vezes por semana ajuda a relaxar! E mais importante, a sentir-me melhor! Com esta ausência forçada de exercício, voltaram as dores nas costas, às vezes ando toda empanadinha! Mas nem pensar em fazer nada, pelo que dizem os médicos, agora é só descanso (que às vezes cansa que se farta quem por natureza é eléctrica)! E, cá para mim, só quando voltar a trabalhar é que consigo retomar aquilo, aproveitar que o gym fica pertinho do trabalho e ir lá à hora do almoço. Mesmo porque me está a parecer que vou ficar enorme! Toda a gente diz que estou com a barriga maior do que devia com este tempo, a coisa promete! É já estou com 65Kg....vai longe, vai...Muita corridinha depois, filha, vai-te mentalizando!!!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Ainda não tenho os resultados, ao contrário do que me disseram, demoram +/- 10 dias e fi-los à uma semana atrás. Talvez lá mais para o final da semana. São estas esperas que desesperam. Inevitavelmente, perdi-me nos corredores do HSM, como sempre acontece quando muda o sítio onde tenho de me dirigir...aquilo é um labirinto! Ainda me lembro de uma vez que lá fui visitar uma vizinha/amiga e andei perdida no meio dos corredores gigantes quase uma hora! Quase não via ninguém e (deve ser por ter nascido loira), nunca conseguia seguir as indicações que me davam! Parecia um filme série B, bem manhoso! De modos que é assim, parece-me que o mais provável é só ter os resultados para a semana.

Ah, e hoje faço 13 semanas!

domingo, 6 de março de 2011

Amanhã vou buscar os resultados do rastreio bioquímico. Basicamente, vai determinar a probabilidade de existirem más formações no feto e a necessidade de fazer uma amniocentese. E estou-me a passar. Como sempre, a antever o pior dos resultados. O medo, sempre este monstro que me faz rugas. Só consigo pensar que, se até aqui, tudo me tem corrido ao contrário, porque razão estranha me há-de ser dada esta oportunidade? Antevejo uma noite difícil...com os nervos em franja, é o estado actual.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Hoje, pela 2ª vez desde o início de um trabalho, fui a uma reunião com a Direcção do organismo que uma das minhas equipas está a auditar. Mais uma vez, para ouvir queixas da equipa, mais concretamente de um dos elementos. Sempre o mesmo. Aquele com quem ontem me passei à tarde. Depois fico naquela posição que odeio, entre o ouvir, o defender os princípios da casa que ali estou a representar, a arranjar formas de suavizar e, principalmente, de resolver as questões. Arrogante do caneco! Não há trabalho onde ele esteja envolvido que não resulte nisto. Já falei com ele mil vezes, não consigo nada daquele gajo. É uma frustração, principalmente porque com aquela atitude de superioridade, presunçosa e arrogante, só prejudica toda a equipa. Passo-me com aquele anormal...vim de lá mesmo triste. Era suposto eu conseguir resolver este problema, sempre tão recorrente. É nestas alturas que tenho pena de no Estado não se poder despedir as pessoas com mais facilidade. Nunca vi gajo tão anormal. Ia direitinho, ele e aquele feitio, para o olho da rua. Era só isso que merecia. Gajo mais intolerável. Mas eu tenho de arranjar forma de dar a volta a isto. Só não vejo como. E isso deixa-me doida.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Será que é normal eu ter tanta vontade de começar a comprar coisas para o baby e ainda não ter comprado nada? Perco-me nas lojas, a ver tudo ao pormenor, mas ainda não consegui comprar nada. A minha mãe contou-me há anos, por causa de uma prenda que comprei a uma amiga, que das duas vezes que abortou tinha comprado roupinhas dias antes. E que de mim e do meu irmão, só comprou coisas quase no final. É incrível como estas coisas ficam na cabeça. E entretanto, vou vendo tudo e mais alguma coisa, mas ainda não tenho coragem de comprar! Para não azedar.

Já comecei foi a "arrumar" a casa. Armários, principalmente, porque tenho que tirar TUDO o que está no quarto que vai ser do baby e agora é que eu vejo a quantidade de TRALHA que se acumula! E só estamos naquela casa há 4 anos! Quando mudei de casa fiz uma "limpeza" a sério! Nem móveis trouxe, vendi tudo! Deitei montes de tralha fora, dei muita coisa. A todos os níveis, queria começar de novo, sem más energias! Apesar destas ideias fazerem gastar montes de dinheiro, vale muito a pena. Liberta! Mas agora já temos a cassa cheia. Estou na fase de mentalização do JL (leia-se falar nisso todos os dias) de que vai ter de se enfiar na arrecadação comigo para deitar tralha fora e seleccionar outra para dar, para arranjar espaço. Comigo lá para decidir, claro, primeiro porque os homens não são bons nestas coisas e segundo porque adoro a parte em que me dizem que não posso fazer esforços! Há que aproveitar!!!

Com esta história, o JL já se encarregou de montes de coisas que era eu que fazia, mais as que eram assunto dele, tadinho, está a ser totalmente explorado! Lindo! Absolutamente dondoca! Mas com a mão na barriga!

Inevitável

Segunda-feira foi um dia muito forte. Foi a autorização para aliviar o medo que tinha/tenho de que algo corra mal. Esse dia ainda correu bem, mas ontem foi difícil. Depois de um dia a sentir-me mal sem saber porquê, ainda com direito a um confronto menos simpático com a pessoa mais difícil que está na minha equipa, que me obriga sempre a ter de impôr o que quero, à noite foi o descalabro. Assim que o JL comentou a mãozinha dele bem aberta, para nós vermos, comecei a chorar desconsoladamente! O desgraçado nem sabe o que me há-de fazer, lá ficou todo comovido por me ver assim...as hormonas são lixadas, é o que é! O que vale é que depois passa, porque nem eu me percebo!

agora já não são só as calças que não servem: hoje experimentei umas 5 camisas e nada! Chega à barriga e os botões não apertam! Preciso que venha o calor para poder vestir outras coisas! São Pedro, vê lá se colaboras que isto está a ficar um stress! E há tanta roupinha lindinha para comprar, só que é tudo de verão e eu sou friorenta!
Acabei de sair de uma reunião algo surreal, com a Direcção aqui do estaminé. Para organizar e planear o trabalho até ao final do ano (tadinhos, são uns optimistas). Sem perceber bem como, de repente estava tudo a especular sobre a data do meu parto. Eu, que estava numa conversa paralela, quando me apercebi, estavam 3 a discutir quando é que eu ia ter o baby. Só me deu para rir, de tão surreal! E a convicção com que a conversa seguia!!! Se era em Setembro ou Outubro, que trabalhos é que estavam prontos nessa altura, se tirava ou não férias antes, se ficava 5 meses ou 6 de licença. Assim tudo de repente, na maior lata! Dá para perceber que não sei? Que ainda não pensei em nada disso? Sei que, se Deus quiser, lá para meio de Setembro acontece, mais que isso, lamento, não faço ideia! Levaram a resposta possível, que está previsto para Setembro, sobre o resto não sei ainda, mas, como sempre, tudo farei para que o trabalho corra da melhor forma. Depois ficaram atrapalhadinhos, perceberam que se tinham esticado, acho eu! Que coisa!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Hoje foi a eco das 12 semanas. Pela eco, está tudo bem, todos os marcadores analisados foram negativos. 56,3 mm, um matulão, o meu baby! "É capaz de ser uma menina", foram as palavras do médico! Vamos ver, com certeza, só na próxima eco, que vai ser de hoje a um mês. Mas o melhor foi ter alta do HSM, por ter passado o período mais crítico. Isso traz muita paz! O JL está deliciado, mas ainda esperançoso de que seja UM baby, e não uma. Foi deslumbrante vê-lo a mexer, a abrir as mãos, vimos os dedinhos todos, a levar as mãos à cara, é um espetáculo!

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Clearly, an understatement

ANDO A COMER QUE NEM UM ANIMAL

(desabafo só para ver se meto na cabeça que tenho de fechar a boca às porcarias que ando a comer!)

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Fui buscar umas análises e acho que estou à beira de uma anemia. Isto, aliado a umas tensões de galinha (5-9, como ontem, por exemplo), só dá um resultado: uma moleza e um cansaço sem descrição! Ando mesmo rebentadínha de todo!

TODA A SORTE, A.

Tenho acompanhado à distância o percurso da A. em mais um tratamento, e sei bem o que custam as duas semanas entre a transferência e o resultado. Tudo o que se fez antes desaparece e só isso conta. Por saber bem tudo o que isso significa, só lhe desejo uma coisa: que seja desta!!!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Estes primeiros meses do ano no trabalho são uma seca. Prefiro mil vezes o desespero que foram as últimas semanas do ano passado, com mil coisas para fazer, tudo para ontem. Nessa altura, descansam os inspectores e trabalham os chefes. Agora, andamos nós em câmara lenta e, como diria o JL, "é um saco"! Até já me deu para arrumar papéis de trabalhos antigos, tal é a seca. O resultado é que ando sempre "em cima" das equipas que estão no terreno e mal sabem eles que é porque, no fundo, já sinto saudades de fazer eu o trabalho que eles fazem. Aquilo pode ter fases muito aborrecidas, que as tem, mas sempre me deu pica. O que eu detesto é este ramerame de dias sempre iguais!
Um grande passo em frente: Hoje vesti, pela primeira vez, calças de grávida. Apesar de achar que é cedo, as minhas calças normais estavam a chegar a um ponto triste, sempre abertas ou presas com alfinetes e elásticos. Já me andava a sentir muito pindérica, mas nada que uns jeans fantásticos da prénatal não resolvam! Já me tinha esquecido como era andar com roupa que me fizesse sentir confortável! O desafio agora são as "partes de cima" que tapem aquela barra de tecido extensível (que por enquanto anda dobrado). No trabalho não dá para andar de camisas por fora, e não tenho lá muita roupa que sirva...mania de usar sempre tudo justo, agora até as camisas deixam de servir, no peito e na barriga. O pior é que as lojas têm roupas de mamã lindas, mas tudo de verão! E até dar para vestir aquilo, o que é que eu faço?
Mas adoro olhar para o espelho agora! Estou a ficar com corpo de mamã, e adoro!

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

11 semanas hoje. Estou acordada desde as 2h45, depois de um dia de mau humor, não dormi nada. Estou exausta. Supostamente, todas estas oscilações de humor são normais, mas eu não acho nada normal. Ando sem paciência nenhuma para ninguém, não me apetece nem falar. E agora dava tudo pela minha cama...

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Ontem abandonei uma reunião de consomínio a meio porque estava a enervar-me e hoje, a caminho do trabalho, não tive um acidente por milímetros. Resultado, fiquei super nervosa. E em pânico que aconteça algo por causa disto. Parece que quanto mais uma pessoa quer andar calminha mais tretas acontecem. Só espero que o meu baby seja forte e aguente estes trancos. Eu, por mim, já tenho o dia estragado, só pelo medo em que fico de que algo corra mal por me ter enervado.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Vida em mim

Ontem fiz uma ecografia, dia de consulta das 10 semanas. O meu baby já tem uma forma mais de baby e mexeu-se. Muito. Abanava braços e pernas e mudou de posição. Lindo lindo foi vê-lo a colocar o braço em cima da cabeça. É uma vida. Em mim. Do meu bébé. Ainda nem consigo acreditar! E cada vez que penso nisso, fico com os olhos cheios de água. Babadíssima, é o que é. O JL está babadíssimo, fica deliciado a olhar para o ecrã. E eu estou a amar cada momento.
Entretanto, já não vai sendo fácil disfarçar, já várias pessoas perguntaram aos colegas com quem me dou mais se estou de bébé. A barriguinha está maior, o peito também, parece que já não sou só eu que noto que o corpo está a mudar. Faltam duas semaninhas para acabar o período pior. Já faltou mais. E o meu bébé já mexe que se farta. E nós já o vimos!!!

Só uma coisinha:

Há coincidências na nossa vida que não são pêra doce!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

10 SEMANAS

A minha sobrinha está cada vez maior. Mas o problema é que não é só no sentido bom. Está cada vez mais gorda, e os pais não vêem nada de mal nisso. Comeu dobro de mim no jantar, por exemplo. Que não gosta de legumes, nem de salada, nem de água. Sem problema, substitui-se por ice tea e arroz cheio de molho da carne. Duas fatias de bolo de sobremesa. E insistem para que coma tudo o que tem no prato. O exagero que lhe puseram no prato!!! A minha mãe estava passada, só olhava para mim com aquela cara "segurem-me que eu vou-me a eles! Como a mãe dela é meio esquisita e adora uma desculpa para estragar tudo, ninguém diz nada, que tudo lhe parece mal e passa meses sem falar a ninguém, completamente esquisita, a senhora. Só que no entretanto, eles não vêm que a S. vai sofrer com aquilo, no momento em que começar a "olhar para a sombra". Eu sei bem o que passei por ser rechonchudinha, e não era nem metade do que ela está. O que me assusta mais é que cada vez que a vejo, está mais gorda. Obviamente que mudar agora os hábitos, quando ela tem 10 aninhos, deve ser duríssimo, mas assim só lhe estão a fazer mal. Ou vai ficar enorme a vida toda, ou vai sofrer horrores e vai saber se vai conseguir lidar com isso decentemente. Fiquei mesmo preocupada com ela. Falei com o meu irmão, cheia de dedos, e recebi como resposta "o que é que queres, que não lhe dê de comer? Se ela pede, eu dou". Não adianta, enquanto eles não virem a miúda como ela está, não vale de nada ninguém dizer nada. Ainda se riem, quando dizem que a médica está sempre a avisar que a menina está a engordar muito. São novos, mas parecem aquelas avós velhas, que só quando as crianças estão redondas é que acham que es´tão saudáveis. Isto não vai acabar bem.
No Sábado reuniu-se a família. Durante a semana, eu e a mommy fizemos anos (as velas do bolo totalizaram 100 anos). O JL fez questão de abrir uma garrafa de vinho especial, que lhe tinham dado logo no 1º Natal que passámos juntos, e que nessa altura, por ser especial, ficou destinada à comemoração da vinda de um baby. Aguardou 4 anos. Por isso foi tão maravilhoso abri-la, e delicioso prová-lo (sim, que alcóol está vetado durante largos meses). Hoje faz 10 semanas. Já não falta tudo para passar a fase mais perigosa. E eu só quero que o tempo passe rápido!
E a vontade de atacar um pacote de bolacha maria? É que ia inteirinho!!!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

9 Semanas

Hoje faz 9 semanas. E está tudo bem. 23,6 mm, com 178 batimentos por minuto. O meu baby é um matulão! E eu não engordei nestas 2 semanas, o que também é bonito! Se bem que deve ter sido a compensação, pelo peso que me saiu das costas assim que a médica da eco disse que estava a evoluir bem!

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Na maior parte das vezes, já nem me lembro disto. Mas em dias mais chochos, estas coisas aparecem todas. Cresci com duas miúdas que considerava família. Estavamos sempre ali. E de há uns anos para cá, tudo se desmoronou. Por minha culpa e delas. Durante muito tempo fomos o porto seguro umas das outras. Eu e uma delas ajudámo-nos a passar por momentos muito duros. O mesmo problema, em duas fases distintas. A outra ficou ressentida nunca percebi muito bem porquê. Uma vez pediu-me desculpa por não ter estado presente, eu disse-lhe que sempre tinha estado, mas não funcionou. Foi desaparecendo devagar, deixou completamente de aparecer, de me procurar. Um dia recebo uma mensagem a dizer que tinha nascido o filho. Nunca me tinha dito que estava grávida. E eu não consegui achar que não fazia mal. Com a outra, quem meteu o pé fui eu. Depois de muitos anos sem dizer aquilo que realmente sentia, resolvi que chegava e disse. Não gostou e a coisa nunca mais e endireitou. Sei que entre as duas tudo continua igual, mas eu saí da equação. E ás vezes sinto uma falta imensa delas. Quem diria que um dia ia finalmente conseguir engravidar e que nem lhes diria? Quem diria que me ia sentir tão triste por não me fazer sentido nenhum pegar no telefone e contar-lhes. Definitivamente, numa situação normal, hoje era dia de enfrascar uns 2 xanax!!! Vou mas é apanhar um bocadinho de sol, que a coisa está meia difícil hoje!
A prova de que o humor não está lá aquelas coisas é ter-me enfiado no Colombo e não ter comprado nada. E estou numa fase muito difícil: a mania de usar as calças sempre justinhas tem agora o outro lado. Só tenho umas calças que apertam normalmente e duas que só consigo apertar o fecho, e o resto vai preso com alfinetes-de-ama. O que trás outro problema: não posso usar camisas por dentro das calças, porque senão vê-se. E não tenho muitas alternativas. E agora as lojas são um caos: ou têm o final dos saldos, onde não se encontra nada de jeito, ou têm a nova colecção, com tecidos tão fininhos que só consigo pensar em vesti-los daqui a uns meses. Ainda por cima, na 2ª à tarde e na 3ª de manhã tenho reuniões de início de trabalho, em que vou eu e as chefes. Para um dia ainda me safo, umas das calças são de fato, só preciso que faça frio para poder usar uma camisola. O problema é o outro dia. Estou para ver o que é que eu vou vestir. Andei nas lojas a ver a roupa de pré-mamã. Um novo mundo, é um facto. Muita coisa muito gira, mas ainda não tenho barriga para encher aquilo. Estou naquele período "entre roupas", definitivamente. Para o fim-de-semana é mais fácil, mas para trabalhar é um desafio! Estou ão desejosa de me ver com uma barriga enorme!!!
E cá está, lá estou eu a passar-me, porque na segunda vou ao médico. O medo de que algo não esteja a correr bem petrifica-me. Não consigo pensar em mais nada, esta noite não dormi nada de jeito e desde manhã que só me apetece chorar. Tenho tanto medo de que não aconteça...preciso de me acalmar, que isto não faz bem nenhum. Nem a mim, mas principalmente, a ele. Já sonhei com o parto, já vi o corpinho dele no meu colo, há sonhei com estar a vê-lo dormir. Já o ouvi chorar. Desconhecia que esta estúpidez que são os meus sonhos tão reais podiam ter este lado perigoso. Não me sai da cabeça o que a médica que me fez a eco às 7 semanas me disse: "está tudo bem mas esperem mais umas duas semanas para contar às pessoas". Por mais que me tenha dito depois que não tinha visto nada de errado, qeu era um conselho que dava a toda a gente, isso não me sai da cabeça.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Nem para escrever aqui tenho tido vontade. Esta coisa de estar grávida causa mesmo umas mudanças radicais! Ando absolutamente zorbe, uma moleza terrível o dia inteiro, não tenho energia nenhuma e isso está a fazer-me confusão, porque é, basicamente, o oposto do meu estado de agitação natural. Há uma mudança que é boa: agora durmo à vontadinha, como nunca aconteceu. O JL só me goza, porque adormeço em todo o lado. Na próxima segunda tenho mais uma eco e consulta. Nesse dia faço 9 semanas. Só quero que esteja tudo bem. Até sonho com ouvir o coração dele outra vez. É uma coisa muito grande, o que me está a acontecer agora!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A parte traumática de hoje foi subir à balança. 64,5 Kg. OK, estava vestida e com umas botas gigantes. Mesmo assim, não é bonito. Começar a gravidez com uns 63 Kgs é demais! Pelo menos, acho que já não sinto aquelas fomes devoradoras. Mas tenho abusado. Pão, doces, etc. Tenho de me controlar, já levei o recado hoje. Ainda por cima, há uma tendência familiar para a diabetes, eu própria já tive, por isso não é bonito desleixar-me. Sei que também é efeito de ter parado com o Holmes, por enquanto nem pensar. Isto tudo para me convencer que tenho de fechar a boca e comer só coisas decentes, de 3 em 3h.

7 Semanas

Hoje fui fazer uma ecografia. Depois de um dia terrível ontem, porque de repente desapareceu um dos sintomas que tinha (o que nesta cabecinha fatalista quer logo dizer que alguma coisa correu mal), hoje tive a melhor das notícias: está tudo a correr bem! 11,3 mm, coração a 146 pulsações (o que por incrível que pareça, supostamente é normal). Já se vê perfeitamente aquilo que mais parece um feijão. Mas indiscritível é ouvir o coração. Fez com que as lágrimas saltassem logo. Confirmou-se que é só um. Está lá um saquinho mais, mas sem nada lá dentro. Esse é mais um dos meus bébés que não conseguiram vingar. Com este, são 6. Mas tenho cá um, a crescer em mim. E isso é a maior das felicidades.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

As coisas começam a mudar em mim. Sensações estranhas, um cansaço que vem de repente e sem razão nenhuma, fome, ai a fome....e uma ronha descomunal, a roupa que começa a encaixar de outra maneira. Nesse aspecto, há uma parte com piada! Finalmente, tenho uma coisa mais parecida com o que sempre quis ter!!! Mas a mudança maior é a paz que eu sinto cá dentro. Apesar do medo que às vezes me invade, estou bem. Feliz. Sei que vai correr tudo bem. Na 2ª vou fazer uma eco e tenho consulta, queria que fosse já hoje, preciso destes passinhos, ir sabendo que está tudo bem.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Fome e sono, as notícias da actualidade!
E estou a começar a perceber que isto é ainda mais complicado do que pensava: depois de me fartar de ler sobre o assunto, chego à conclusão de que estou de 4 semanas se contar para que o percurso todo sejam 38, mas se "fingir" que é uma gravidez normal, estou de 6 semanas, e aí, ao todo são 40 semanas. Confuso? Nada...De qualquer maneira, estou, e por enquanto é só isso que me importa!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011



Acabei de me deliciar com um rebuçado destes! Há anos, muitos, que não sentia aquele gostinho!

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

62,5 kgs. Não é mau, dos outros tratamentos fiquei bem maior. Espero ficar BEM GRANDE, mas pelas razões certas, e para isso ainda falta um tempinho. A questão é que ando SEMPRE com fome. Muito perigoso, isto! Não posso começar a comer tudo o que me apetece, senão vou ficar uma bola. Ainda agora começou, vai ser bonito, vai!!! Até me tenho portado bem, como ainda mais vegetais, leite e iogurtes. Carne ou peixe sempre grelhado ou cozinhado com pouca gordura, tudo como me mandaram. O problema é que só me apetecem bolachas, pão com queijo e coisas do género!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Eu sei que é tudo muito recente. Eu sei que é de risco. Eu sei que muita coisa pode correr mal. Mas é a única coisa boa que me aconteceu desde há muito tempo. E eu não gosto que me estejam sempre a refrear o entusiasmo. Não é por isso que eu vou sofrer menos se acontecer alguma coisa e eu preciso, e quero, acreditar que vai correr tudo bem e que eu vou viver de verdade aquilo que vivo nos meus sonhos há anos. Estou com medo, mas estou em paz e feliz com isto. E não gosto quando me pedem para não me entusiasmar, quando me dizem que pode não ser desta. Vai ser desta. Não estou a fazer planos, nem a tomar decisões, nada. Muito pouca gente sabe. Só vivo o que de bom está a acontecer comigo. Mereço isto, depois de tudo o que já passei. Tenho esse direito. Por enquanto este assunto fica por aqui. Mas não tarda começa a ser dito alto.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Ontem fomos à 1ª consulta de obstetrícia. Fiquei deliciada com a médica, adorei. Mas lindo foi o resultado da eco: ver uma bolinha na minha barriga foi lindo! LINDO! Um bébé de ouro, depois de tudo o que passámos, como disse a médica. LINDO!
É tudo o que eu quero: que a cada passinho que dermos esteja sempre tudo bem. E já tenho a 1ª foto do meu baby! Emoldurada!